Bolsonaro não sabe ouvir crítica, então desrespeita, afirma Alckmin


Os dois pré-candidatos trocaram acusações pelas redes sociais

Thais Bilenky - Folha.com
SÃO PAULO
O pré-candidato tucano Geraldo Alckmin, que bateu boca com Jair Bolsonaro (PSL) 
Foto: Zanone Fraissat - Folhapress

No dia seguinte em que bateu boca com o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), Geraldo Alckmin (PSDB) voltou a criticar o oponente na disputa eleitoral.

“Ele não sabe dialogar. Não sabe ouvir crítica. Então, desrespeita as pessoas”, afirmou Alckmin nesta quinta-feira (24), em São Paulo.

“O que o Brasil precisa é de diálogo. Porque quem for eleito presidente da República vai ter que dialogar para poder fazer avançar um conjunto de reformas de que o país precisa”, disse o tucano.

Na quarta, em sabatina realizada pela Folha, UOL e SBT, o tucano apontou a convergência entre votos de Bolsonaro e do PT, chamando-o de representante do atraso e do corporativismo.

Bolsonaro contra-atacou nas redes. "Geraldo Alckmin me rotula de atrasado por meus votos no passado. Um dos votos que mais me orgulha foi o contra a reeleição de FHC. Não aceitei a propina do seu partido, PSDB. Estou aguardando alguém da sua laia me chamar de corrupto", disse o deputado. 

Nesta quinta, em palestra promovida pela revista Exame, Alckmin disse que, neste período de pré-campanha eleitoral, a cobertura da imprensa é “só fofoca”, embora tenha usado, ele próprio bem como Bolsonaro, as redes para trocar acusações.

O tucano admitiu que “todo mundo gostaria de ter pesquisa mais alta”, referindo-se ao desempenho empacado na intenção de voto. 

Mas disse ter confiança de que chegará ao segundo turno, já que o eleitor, primeiro, encanta-se com quem se diz “contra tudo” e, depois, opta por “quem vai cuidar do seu dinheiro”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário