Ampla maioria do PSD quer aliança com Alckmin, diz Kassab


Kassab disse que a indicação a vice na chapa tucana será definida pela aliança, não por um partido

Marcelo Toledo - Folha.com

Resultado de imagem para kassab alckmin

Dirigente do PSD, o ministro Gilberto Kassab (Comunicações) disse nesta terça-feira (1º) que a maioria do partido quer fechar aliança à presidência com o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB).

De acordo com ele, porém, não há conversações sobre seu partido indicar nome do vice na chapa.

“Existe hoje uma ampla maioria no partido que deseja uma coligação com o PSDB do Geraldo Alckmin. Essa é a realidade do partido hoje”, disse o ministro em Ribeirão Preto (a 313 km de São Paulo), onde visitou a Agrishow (Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação) com o pré-candidato do PSDB ao governo paulista, João Doria.

​Kassab disse que a indicação a vice na chapa tucana será definida pela aliança, não por um partido apenas.

“Nós não conversamos sobre a questão da vice. Ela, como diz sempre o próprio Geraldo Alckmin, é algo que tem de ser decidido depois, no final do processo, junto com todos os aliados. Não é uma decisão de um partido, é decisão de uma aliança.”

Segundo Kassab, o desempenho de Alckmin em São Paulo –estado que governou por quase 14 anos e onde está empatado com Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede) em pesquisa Datafolha–, não preocupa e já foi firmada aliança com Doria.

“No plano nacional, como disse, em pouco tempo vamos concluir esse processo de consulta para dar oportunidade de todos se manifestarem. Até o presente momento essa consulta já está bastante avançada e existe efetivamente uma ampla maioria do partido que quer aliança com o PSDB, que tem como candidato o Geraldo Alckmin.”

Ele disse ainda que as consultas são feitas para dar o primeiro passo político no sentido de fazer alguns avanços, “que já estão sendo feitos por conta dessa expectativa de uma aliança”.

“A própria aliança de SP, a aliança em Minas Gerais [deputado Marcos Montes, vice na chapa do tucano Antonio Anastasia], a provável aliança no Rio Grande do Norte, com Robinson Faria [PSD]. A provável aliança no Rio de Janeiro, com Índio da Costa [PSD]. Tudo isso consolida, cria um cenário favorável.”

Questionado sobre a sua posição no governo do presidente Michel Temer (MDB) se confirmada a coligação com o PSDB, Kassab disse que haverá o “momento das definições”.

“O próprio PMDB vai se definir, o próprio presidente. Eu tenho uma relação de lealdade e de uma pessoa que sabe que integra um governo que faz boas realizações e na expectativa de que no mês de junho, julho, possa haver essa definição dos partidos para cada um ter o seu planejamento para o futuro.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário