Alckmin tem experiência de poder, responsabilidade fiscal e é uma pessoa simples, diz FHC


Sobre Joaquim Barbosa, o ex-presidente afirmou que 'qualquer juiz é competente àquela área específica, para governar o Brasil é preciso mais'

Marcelo Osakabe - O Estado de S.Paulo

Resultado de imagem para fhc e alckmin

O ex-governador e presidenciável do PSDB Geraldo Alckmin é uma pessoa que tem experiência no poder, tem responsabilidade fiscal e é uma pessoa simples e tolerante, afirmou, em entrevista ao programa Canal Livre, da Band, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. O tucano disse, por outro lado, que o pré-candidato de seu partido terá de criar uma estratégia para tornar sua imagem mais palatável para o eleitor do restante do País, já que ela é muito ligada a São Paulo.

"Quais são as virtudes que vejo em Alckmin: ele tem experiência do poder, governou por vários anos o Estado de São Paulo; olha o cofre, isto é, tem responsabilidade fiscal; é uma pessoa simples, e isso é bom; e é tolerante, isso é muito importante numa democracia", disse FHC. "Quais são as dificuldades: é muito difícil para qualquer paulista ganhar eleição, o último foi Rodrigues Alves (1902). Então terá que criar uma linguagem para atingir outros lugares", acrescentou. "Geraldo foi deputado, vai ter que se expor, ele sabe disso."

Questionado sobre a visita que fez na semana passada ao presidente Michel Temer e se teria aproveitado o encontro para fazer articulações políticas, FHC negou. Disse apenas que passou para entregar o livro que lançou no mês passado. Sobre a possibilidade de uma aliança dos dois partidos, disse entender ser "difícil", dado que as duas legendas deverão ser adversárias em muitos Estados. Já em relação à disputa presidencial, disse apenas que é preciso "fortalecer o candidato viável." "No caso, o candidato é o do PSDB", emendou.

O ex-presidente ainda minimizou a importância das alianças entre partidos para a eleição deste ano. "Não creio que, dadas todas as mudanças que aconteceram no mundo, a tecnologia, isso vai ser decisivo (as alianças). Decisivo vai ser a mensagem do candidato. Acho que a aliança maior é a do candidato com a população." 

Sobre Barbosa e Marina

Questionado sobre a possibilidade de o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa entrar na corrida eleitoral pelo PSB, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso evitou dar uma opinião sobre a possível candidatura. No entanto, notou que magistrados "têm tendência a tomar decisões monocraticamente" e que, ainda que tenha mostrado competência em sua área específica, para governar o Brasil "é preciso mais."

"Mal conheço o Barbosa, o respeito", disse FHC. "Mas não é só com ele, qualquer juiz é competente àquela área específica, para governar o Brasil é preciso mais", acrescentou o tucano, relembrando ainda a fama de pouco afeito ao diálogo político de Barbosa.

Questionado se previa que as eleições de 2018 veriam um "tufão" de renovação política, ao invés da "ventania" que teria caracterizado a participação da ex-senadora Marina Silva (Rede) nas eleições de 2014, o ex-presidente disse entender que não. "Eu temo que não haja um tufão. Todos querem uma renovação política, mas poucos conseguem precisar o que é isso. E todos pensam no presidente, mas e os deputados?", questionou.

Ainda sobre a eleição deste ano, o tucano disse que, com o enfraquecimento da imagem dos partidos, em especial do PSDB e do PT, o essencial é ter mensagem e construir a relação entre o candidato e o eleitor. "Tem que ser um candidato que seja inexpugnável no sentido moral", disse, acrescentando que vê no ex-governador Geraldo Alckmin essa característica da moralidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário