Doria articula apoio de prefeitos da Baixada Santista, reduto de vice


THAIS BILENKY - FOLHA.COM

Resultado de imagem para DORIA GOVERNOSP

Em reação ao apoio de alas do PSDB à candidatura de Márcio França (PSB) para o governo de São Paulo, aliados de João Doria (PSDB) articulam uma rede de sustentação para o paulistano que inclui prefeitos do reduto eleitoral do vice-governador, a Baixada Santista.

Tucanos que comandam Cubatão, Itanhaém e Peruíbe apoiam candidatura própria ao Palácio dos Bandeirantes, a despeito da campanha de França, que foi prefeito de São Vicente.

À frente de Santos, maior cidade da região, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), contudo, declarou que a aliança estadual deve priorizar a campanha para presidente do governador Geraldo Alckmin (PSDB), inclusive se isso significar apoiar França e abrir mão de candidatura própria.

Ao defender candidatura própria, Ademário Oliveira (PSDB), prefeito de Cubatão, disse que "seria efetivamente um ganho real" para a Baixada ter o vice no governo.

"Por outro lado, o partido lançando candidato, é meu dever moral apoiar e minha preferência é pelo Doria. Ter dois palanques em SP para o Geraldo não teria reflexos no projeto nacional", afirmou.

"Aguardo a definição do nome, mas considero Doria um candidato forte, com apelo interessante", disse o prefeito de Peruíbe, Luiz Maurício (PSDB). "O duplo palanque não vai afetar a projeto presidencial, o importante é que Alckmin terá dois apoios de peso no Estado."

Marco Aurélio (PSDB), prefeito de Itanhaém, afirmou que "João é um grande quadro e deve ser nosso candidato. Não sei se apoiar Márcio é uma opção. O João poderá deixar isso mais claro."

O próprio Doria tem conversado com prefeitos paulistas, ainda que negue disposição para disputar o governo. Optou por mostrar-se focado na gestão da prefeitura para evitar desgaste público. Conta com apoio do prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB).

Aliados próximos de Alckmin, Barbosa e Duarte Nogueira, prefeito de Ribeirão Preto, têm emitido sinais em favor de uma aliança com o PSB para aumentar o arco de alianças de Alckmin e garantir mais tempo de televisão a ele na campanha.

Da mesma forma, o prefeito de Mongaguá, na Baixada, Professor Arthur (PSDB), vê com simpatia o apoio ao vice-governador. "Sou fundador do PSDB, ajudei a escrever o estatuto, sigo a orientação do partido. Essa alternativa é bem-vinda, Márcio mostrou honestidade na postura com Geraldo, foi um grande prefeito."

Das nove cidades da Baixada santista, sete são administradas pelo PSDB. O prefeito de Guarujá é do PSB, partido do vice, e o de São Vicente, do MDB, é seu cunhado. Alberto Mourão (PSDB), prefeito da Praia Grande, disse ser contra antecipar o debate sobre nomes antes de discutir programas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário