Alckmin diz que lealdade do partido 'é para com o Brasil'


Tucano gravou vídeo logo após reunião do PSDB e, sem falar em desembarque, disse que os líderes partidários conversaram sobre revisitar o programa da sigla

Elisa Clavery - O Estado de S.Paulo


Tasso Jereissati, presidente do PSDB, e o governador de São Paulo Geraldo Alckmin 
Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Sem citar o presidente Michel Temer (PSDB), o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), gravou um vídeo após a reunião do partido nesta segunda-feira, 11. Na gravação, o tucano diz que a "lealdade (do PSDB) é para com o Brasil e os seus valores e os seus princípios", mas não falou em desembarque da sigla do governo. 

"O nosso compromisso é com o povo brasileiro. A nossa lealdade é para com o Brasil e os seus valores e os seus princípios", disse o governador.

O jantar com os líderes tucanos foi realizado Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, a convite de Alckmim. O governador destacou a presença do presidente interino do partido, Tasso Jereissati, e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Este último viajou nesta terça-feira para a Europa.

Segundo Alckmin, no encontro do partido, os tucanos falaram sobre a nova convenção do PSDB, que deve ocorrer em agosto. 

"(Falamos sobre) revisitar o nosso programa, discutindo macroeconomia, microeconomia, políticas sociais, desenvolvimento. A necessidade da retomada do emprego no nosso País", disse o governador. 

No domingo, Alckmin afirmou que o PSDB deve apoiar o governo somente até a aprovação das reformas. Nesta segunda-feira, porém, ele disse que "vai ficando claro na consciência dos líderes qual é o melhor caminho para o futuro". O governador propôs a reunião para firmar um pacto de não agressão entre a ala que quer o desembarque imediato da base e o grupo que trabalha pela permanência. 

Segundo relatos dos participantes, Alckmin concordou que está chegando a hora de os quatro ministros tucanos saírem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário