PSDB tem 'dever de ajudar' Temer se ele assumir presidência, diz Geraldo Alckmin


Governador de SP diz que partido não vai exigir nada em troca de apoio.
'Se ele convidar alguém do PSDB, não tem problema', afirmou.



Glauco Araújo - G1 


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) disse na noite desta terça-feira (26) que o PSDB tem o dever de ajudar o Michel Temer caso a presidente Dilma Rousseff sofra o impeachment e o vice-presidente assuma a presidência da República.

"Nós temos de ser absolutamente coerentes. O PSDB defendeu o impeachment, que ainda não se completou, falta a votação no Senado e o julgamento do mérito. Coerentemente, o substituto da presidente, caso ela seja impedida, é o vice-presidente, então, temos o dever de ajudá-lo", disse Alckmin durante lançamento de um livro do secretário de Segurança Pública de São Paulo, Alexandre de Moraes, em uma livraria nos Jardins.

"A situação econômica brasileira é muito grave, difícil, então, não vão ser meses fáceis esses que vêm pela frente. Nosso dever é redobrado de ajudar."

Alckmin afirmou que o partido tem disposição de ajudar "despretensiosamente" e que o partido não vai exigir ministérios em um eventual governo Temer, nem apoio para as eleições de 2018.

"O PSDB não vai exigir nada. Se o presidente (sic) convidar alguém do PSDB, não tem problema, de caráter pessoal, nenhum problema que isso ocorra. O importante é mudar a política, o modelo político brasileiro esgotou, está exaurido, ele não tem mais solução, então, é preciso mudar, não vamos fazer a mesma política", disse Alckmin. "Uma das reformas necessárias é a política, com 35 partidos você só piora a situação."

Nenhum comentário:

Postar um comentário