Tucanos comem coxinhas em 'esquenta' para protesto na Paulista


GIBA BERGAMIM JR - FOLHA.COM

Da esq. p/ a dir, os tucanos Chico Alves, Yara Cunha e Benê Mascarenhas
Giba Bergamim Jr/Folhapress 

Bastava se aproximar do carro estacionado na esquina da avenida Paulista com a rua Pamplona para sentir o cheiro de coxinha durante a tarde deste domingo (13).

Em volta do SUV modelo Tucson, um grupo de antigos filiados do PSDB –na maioria fundadores– que faz reuniões mensais para falar de política e comer iguarias feitas por tucanos, geralmente homens.

Todos faziam um "esquenta" para a passeata a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff. Em vez de pratos sofisticados, caixas de coxinha da Di Cunto, antiga e badalada padaria fundada na Mooca.

No porta-malas também havia cerveja e refrigerante.

Eles ganharam o apelido de Tucano Beer, uma alusão à bebida predileta nos encontros. O grupo também se auto-intitula como "tucanos de fogo", "leais, bons de coração e de garfo".

"A gente se reúne há cerca de 18 anos, somos filiados que fazemos campanhas juntos. Fazemos encontros em torno do tema gastronomia, com responsabilidade e alegria", disse a pedagoga Cidinha Almeida, 54, no PSDB desde sua fundação.

Ela é a colega de partido, a arquiteta Yara Cunha Costa, 64, ajudavam a distribuir as cerca de 150 coxinhas encomendadas nesta manhã.

Vice-presidente do diretório municipal do PSDB, Benê Mascarenhas, 50, também é frequentador assíduo dos encontros.

Para ele, o impeachment é certo. "Eu tinha dúvidas, mas agora, com as novas denúncias e tudo o que vem vem ocorrendo, não há saída. Tenho sentido até na minha família, que tem simpatizantes do PT", disse Benê.

Nenhum comentário:

Postar um comentário