Governador Geraldo Alckmin anuncia os primeiros testes da vacina contra a dengue


Durante reunião nesta sexta-feira, 29, com a presidente Dilma Roussef sobre a campanha “Todos Juntos Contra o Aedes aegypti”, o governador Geraldo Alckmin disse que os primeiros testes da vacina em humanos começam em fevereiro


Após uma videoconferência com a presidente Dilma Roussef e os integrantes da campanha “Todos Juntos Contra o Aedes aegypti”, que vai reunir neste final de semana (30 e 31 de janeiro), agentes estaduais, municipais e a sociedade civil para participar de ações de eliminação de criadouros do mosquito por todo o Estado, o governador Geraldo Alckmin informou que os primeiros voluntários já serão vacinados contra a dengue no próximo mês. "Há anos, O Instituto Butantan trabalha para ter a vacina contra a dengue. A última fase de testes, a 3, nós esperamos agora, em fevereiro, fazer as primeiras vacinações de voluntários no Hospital das Clínicas. Então, pessoas voluntárias vão receber a vacina contra os quatro tipos de vírus em apenas uma dose.”

O anúncio sinaliza o empenho do Governo do Estado de São Paulo na prevenção e combate à doença, que atinge vários Estados brasileiros e outros países.

A campanha paulista “Todos Juntos Contra o Aedes aegypti” vai atingir, neste final de semana, aproximadamente 250 cidades e envolverá a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil e prefeituras paulistas. No total, estima-se que cerca de 15 mil profissionais estaduais e municipais e cidadãos participarão dos mutirões, colaborando com a atuação dos agentes de saúde e de controle de vetores que realizarão o trabalho de campo.

As ações, programadas pela Sala de Comando e Controle Estadual das Arboviroses, incluem a varredura de focos do mosquito em imóveis públicos, privados e baldios, com eliminação de criadouros, remoção mecânica, tratamento químico (quando necessário), bem como a difusão de orientações à população.

A partir do dia 30, os oficiais do Exército também auxiliarão, durante a semana, municípios considerados prioritários, do ponto de vista epidemiológico.

No último final de semana (23 e 24 de janeiro), um projeto piloto do mutirão foi realizado em 20 cidades: São José do Rio Preto, Guarujá, São Vicente, Franca, Presidente Prudente, Presidente Epitácio, Bragança Paulista, Sumaré, Campinas, Ourinhos, Miguelópolis, Itatiba, Birigui, Santana de Parnaíba, Santa Cruz da Esperança, Morro Agudo, Tupã, Agudos, Paraguaçu Paulista e São Paulo.

No domingo, 31, também ocorrerão ações de controle de vetores em 12 parques estaduais urbanos da Grande São Paulo: Villa-Lobos, Jequitibá, Juventude, Água Branca, Belém, Pomar Urbano, Alberto Löfgren, Candido Portinari e Guarapiranga, em São Paulo; Gabriel Chucre, em Carapicuíba e Chácara da Baronesa, em Santo André. A ação organizada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde, prevê panfletagem com orientações aos visitantes e eliminação dos possíveis criadouros de Aedes Aegypti nestes locais.

“Organizamos essa grande mobilização, com apoio de municípios e cidadãos, porque apenas com um esforço conjunto e concentrado poderemos combater o Aedes aegypti, com a finalidade de proteger a população contra a dengue, zika e chikungunya. Contamos também com apoio dos paulistas para que prossigam com a eliminação dos criadouros em suas residências, e nos auxiliem, por meio do novo site, a identificar locais que necessitam da intervenção da nossa força-tarefa, composta por agentes da Sucen, PMs e oficiais do Exército”, destaca o secretário de Estado da Saúde, David Uip.

Mapa interativo

Na próxima segunda-feira, 1º de fevereiro, também será lançado um site onde a população poderá denunciar focos de criadouros do mosquito Aedes aegypti. Trata-se de um mapa interativo que permitirá que a população colabore com o poder público no combate ao Aedes aegypti, indicando pontos em que há evidências da presença do mosquito.

As denúncias serão direcionadas aos gestores das 645 cidades paulistas para que os municípios providenciem ações de eliminação e bloqueio de criadouros nesses locais. Os registros também serão acompanhados por agentes da Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) e pela Sala de Comando e Controle Estadual das Arboviroses, criada em 2015 para monitorar a presença do Aedes aegypti no Estado e a evolução dos casos de doenças transmitidas pelo mosquito.

O site também permitirá o acesso a videoaulas com orientações e instruções relacionadas ao mosquito transmissor, à prevenção e proteção contra as doenças transmitidas pelo Aedes. Além disso, estarão disponíveis materiais informativos da campanha “Todos Juntos Contra o Aedes aegypti”, como banners e cartazes.

A ferramenta estará disponível no site da Secretaria da Saúde: www.saude.sp.gov.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário