Em e-mail, Andrade Gutierrez citou Lula para fazer negócios na Venezuela


Catia Seabra, Gabriel Mascarenhas e Rubens Valente - Folha.com


E-mails apreendidos no âmbito da Operação Lava-Jato revelam que a empresa Andrade Gutierrez agendou um encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para intermediar seus negócios na Venezuela.

Na troca de mensagens, ocorrida em março de 2014, os executivos da Andrade Guitierrez citam uma reportagem para afirmar que o presidente da Venezuela, Nicolas Maduro, está "incomodado" com o distanciamento político da presidente Dilma Rousseff.

Um dos executivos recomenda, então, que seu "ponto focal de apoio" seja Lula. Em março de 2014, Sérgio Lins Andrade, dono da Andrade Gutierrez, enviou ao presidente da empresa, Otávio Marques de Azevedo, a cópia de uma reportagem sobre a decisão de Dilma de se distanciar da Venezuela.

"Isto pode complicar a situação dos contratos lá. Abs", escreveu ele, no e-mail endereçado aos executivos.

Em resposta, o executivo Flávio Gomes Machado Filho fala de um descontentamento de Maduro e cita Lula como canal na Venezuela.

"Temos que tomar todos os cuidados. O Presidente Maduro já está incomodado com essa postura dela há algum tempo. O nosso ponto focal de apoio tem que ser o ex-Presidente Lula. O Pres Maduro reconhece como um grande amigo pessoal e um grande amigo da Venezuela."

Flávio Gomes diz, então, que se encontraria com Lula na semana seguinte para buscar uma solução para traçar uma estratégia de apoio.

"Estou marcando um encontro com o Pres. Lula na próxima semana em SP para discutir com ele a situação da Venezuela e uma estratégia de apoio".


EQUADOR

O relatório da Polícia Federal aponta outra troca de e-mails, entre Paulo Marcio de Oliveira Monteiro e Ricardo Coutinho Sena, de 2008.

O texto das mensagens cita os nomes Lula e Correa. Segundo a PF, "provavelmente", são referências ao ex-presidente brasileiro e o atual chefe de Estado do Equador, Rafael Correa.

A PF presume que os executivos tratavam de um plano para expandir os negócios da Andrade Gutierrez no Equador.

Monteiro diz a Sena que um conselheiro sugere que é essencial contar com o apoio de Lula para realizar a empreitada.

"Ele (o conselheiro) acha que seria um suicídio fazer isso agora. Segundo ele, o ambiente está muito hostil a nós e precisaríamos de algo que venha do Lula [...] Ele acha que precisamos primeiro do apoio do Lula junto a Correa [...]", reiterou o executivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário