Esvaziada, greve política da Apeoesp termina


Folha.com

Marlene Bergamo/Folhapress


Os professores da rede estadual de São Paulo decidiram nesta sexta-feira (12) suspender a maior greve da categoria da história. Os docentes ficaram 89 dias parados e acabaram encerrando a paralisação sem acordo de reajuste com o governo.

A categoria agora deve retomar as atividades na segunda-feira (15). Um programa de reposição de aulas ainda deverá ser definido.

A decisão pelo fim da greve foi tomada em assembleia realizada na avenida Paulista, região central de São Paulo. Segundo estimativa da Polícia Militar, cerca de 1.000 pessoas participaram da assembleia. Dirigentes do sindicato chegaram a estimar 30 mil durante a assembleia.

Após discursos de professores e a votação, a presidente da Apeoesp (sindicato da categoria), Maria Izabel Noronha, confirmou: "a greve lamentavelmente foi suspensa".

A decisão sobre a manutenção da greve já tinha sido apertada na semana passada. Foram necessárias duas votações na ocasião, pois não ficou claro o lado vencedor.

Os grevistas pediam reajuste de 75,33%, percentual suficiente para equiparar o salário dos professores ao dos demais profissionais com ensino superior no Estado, nos cálculos do sindicato. O governo, porém, não apresentou proposta de aumento. Diz que divulgará um plano até julho, quando o último reajuste completar um ano.

Um dos fatores que contribuíram para o esfriamento da greve foi o corte do salário dos docentes pelos dias não trabalhados. Após várias decisões judiciais favoráveis aos dois lados, prevalece a posição do Estado, de fazer o desconto nos salários.

A Apeoesp contabiliza 92 dias de greve, já que a contagem da instituição começou a partir do dia da aprovação do protesto, três dias antes do início efetivo da greve. Segundo a entidade, a reposição das aulas perdidas terá como base a sua lógica de contagem.

A greve mais longa dos professores estaduais tinha ocorrido em 1989, com 80 dias parados. Os professores, na ocasião, voltaram ao trabalho após conseguirem reajuste, mas que ficou 53% abaixo do pedido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário