TCM vê irregularidades em ciclovia da zona oeste de São Paulo


Há problemas em 30 dos 32 itens de serviço e o prejuízo já seria superior a R$ 5 milhões; tribunal fala em risco a ciclistas

PAULA FELIX - O ESTADO DE S. PAULO


Irregularidades na construção de um trecho da ciclovia do Alto de Pinheiros, na zona oeste da capital, foram apontadas por um relatório preliminar do Tribunal de Contas do Município (TCM), divulgado nesta sexta-feira, 8. A análise é feita em um trecho de 10 quilômetros que compreende as Avenidas Professor Fonseca Rodrigues e Pedroso de Morais e o trajeto entre a Praça Apecatu e a Avenida Faria Lima.

O relatório aponta que não havia necessidade de colocação de novo pavimento na via para bicicletas, que havia sido feita no fim da gestão Gilberto Kassab (PSD).

“Constata-se que a superfície do novo pavimento de concreto não apresenta qualidade superior à superfície do pavimento previamente existente”, destaca o documento. 

Diz ainda que a ciclovia está em condições impróprias para o uso dos ciclistas, por conter “trincas, fissuras e irregularidades em sua superfície”. A conclusão é de que oferece risco para os ciclistas.

Prejuízo. De acordo com o documento, a ciclovia já causou prejuízo aos cofres municipais superior a R$ 5 milhões. A obra foi orçada em R$ 15,7 milhões.

Ainda segundo o relatório, foram encontradas irregularidades em 30 dos 32 itens de serviço da obra da ciclovia. Além dos problemas estruturais, são citados o número elevado de material comprado, a realização desnecessária de serviços e a falta de um cronograma físico-financeiro.

A Prefeitura e a Jofege, empresa contratada para execução da obra na ciclovia em Alto de Pinheiros, foram intimadas para justificar os problemas constatados.

O vereador Gilberto Natalini (PV) entrou com uma representação no Ministério Público Estadual (MPE) solicitando que todas as ciclovias da capital sejam investigadas. O Estado entrou em contato com a administração municipal, por volta das 22 horas de ontem, mas não localizou ninguém que pudesse comentar os resultados do relatório preliminar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário