Presidenta atrapalhada: em discurso no Rio, Dilma comete vários tropeços


Presidente troca pasta de ministro presente e confunde valores em cerimônia do Minha Casa, Minha Vida

LUCIANA NUNES LEAL - O ESTADO DE S. PAULO


A presidente Dilma Rousseff cometeu alguns tropeços ao discursar durante entrega de moradias do programa Minha Casa, Minha Vida, na zona oeste do Rio, nesta terça-feira, 12. Logo no início do discurso, ela chamou o ministro interino de Esportes, Ricardo Leyser, de "ministro dos Transportes". Ao tentar consertar, disse que tinha "promovido" Leyser e em seguida corrigiu. "Promover? Não, não precisa promover porque o Esporte é muito importante e vamos ter a melhor de todas as Olimpíadas", disse a presidente.

Logo depois, ao citar que muitos beneficiados com a casa nova pagavam entre R$ 300 e R$ 400 de aluguel, a presidente se confundiu. "Muitos pagavam 300 mil a 400 mil (reais). Agora vocês vão pagar prestação muito menor", disse Dilma, provocando burburinho na plateia formada por famílias que foram receber as chaves.

A presidente também trocou o nome do condomínio Vivenda das Gaivotas e chamou o local de Recanto das Gaivotas.

No discurso, a presidente anunciou que lançará em breve a terceira etapa do programa Minha Casa, Minha Vida, com a meta de construção de 3 milhões de novas moradias, com algumas modificações como o aumento do tamanho dos quartos e da área de serviço. "A gente escuta muita sugestão. As modificações são sempre para melhor. O objetivo é que em torno de 27 milhões de brasileiros e brasileiras tenham tido acesso ao Minha Casa, Minha Vida (até o fim do mandato, em dezembro de 2018)."

Segundo Dilma, seu governo já entregou 2,182 milhões de moradias e outro 1,670 milhão estão contratadas e em construção. A presidente disse que essas habitações se somam a 1 milhão de casas entregues no governo Lula.

Nenhum comentário:

Postar um comentário