Escândalos do PT: cunhada de Vaccari recebe 3º apartamento da Bancoop


Marice Corrêa de Lima, cunhada do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, é suspeita de auxiliá-lo no esquema de recebimento de propina

Felipe Frazão - Veja.com


Cinco dias antes de ser alvo da 12ª fase da Operação Lava Jato da Polícia Federal, Marice Corrêa de Lima, cunhada do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, recebeu a escritura de seu terceiro apartamento da Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo). No dia 10 de abril, Marice obteve a matrícula de um apartamento de 96 metros quadrados de área total e vaga de garagem no Edifício Solar de Santana, bairro de classe média da Zona Norte de São Paulo.

De acordo com o registro de compra e venda, de 25 de fevereiro, ela pagou 61.833, 60 reais pelo apartamento. Marice foi alvo de um mandado de prisão temporária no dia 15 de abril, mas a ordem do juiz federal Sérgio Moro só foi cumprida dois dias depois, quando ela se entregou à PF em Curitiba (PR). Ela foi solta pelo juiz na semana seguinte. A cunhada de Vaccari havia viajado ao Panamá, na América Central.

Marice possui um apartamento da Bancoop no Condomínio Mirante do Tatuapé, Zona Leste, e foi dona outro no Guarujá (SP), de frente para o mar, mas desfez o negócio. Ela desistiu de um apartamento no Edifício Solaris, no qual o ex-presidente Lula possui um tríplex, e Vaccari também tem uma unidade.

A transação de compra e devolução do imóvel à OAS, que assumiu a construção do prédio da Bancoop no litoral paulista, está na mira do Ministério Público, que suspeita de crime de lavagem de dinheiro, avaliado em cerca de 200.000 reais. Marice é suspeita de auxiliar Vaccari a receber propinas e vantagens pessoais. Ela nega.

A Bancoop já foi dirigida por Vaccari e lesou milhares de cooperados que compraram imóveis e nunca receberam as chaves e a documentação. Acusado de desvios de dinheiro para o PT na gestão na entidade, Vaccari responde a ação penal por formação de quadrilha, estelionato, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. Ele será interrogado pela Justiça em novembro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário