Governador Geraldo Alckmin voltou a defender que PSDB faça prévias


'Não é pecado querer ser candidato. Decisão é do partido', diz Alckmin

ANA PAULA RIBEIRO - O GLOBO


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou que não é pecado querer ser candidato à Presidência da República, mas é o partido que escolherá o nome que irá disputar as eleições de 2018.

- Não é pecado querer ser candidato. Triste é o país que não tem nomes. Mas essa não é uma decisão pessoal. É coletiva. Do partido e depois da sociedade - afirmou durante participação do lancamento do sexto anuário Época Negócios 360 graus. 

Ao ser questionado sobre disputar a indicação com o prefeito de São Paulo, João Dória, afirmou que é positivo para o partido ter opções e que defende o modelo americano de primárias. Disse ainda que não pensa em mudar de partido para disputar o cargo.

- Troca de partido, para mim, não existe essa hipótese - disse.

O governador afirmou que antes de se discutir 2018, é importante aprovar a reforma política.

- Precisamos aprovar a reforma política. Se não a fizermos nos próximos 60 dias, serão mais quatro anos. Não é possível conviver com um modelo com 35 partidos - disse, acrescentando que defende o voto distrital, a cláusula de desempenho para os partidos (que reduziria o número de legendas) e uma campanha mais barata.

Nenhum comentário:

Postar um comentário