'Quem vai botar ordem na casa?', questiona FHC ao defender Judiciário


Ex-presidente reconhece que Justiça pode errar, mas diz que é preciso obedecê-la

O GLOBO 

Fernando Henrique defendeu o Judiciário no Facebook - Reprodução/Facebook

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso saiu em defesa do Poder Judiciário em vídeo publicado na manhã desta terça-feira no Facebook. No momento em que juízes e ministros se veem no centro da crise política do país, como algozes ou salvadores, o tucano ressaltou que não se pode pensar em uma Justiça de decisões automáticas ou que agrade a todos.

"Nem sempre uma decisão do Judiciário me agrada ou agrada que está me ouvindo. Agora, ou nós aceitamos que há regras e há o Judiciários ou, então, quem é que vai pôr ordem na casa?", questionou FH.

Na visão do sociólogo, a Justiça é um marco para a democracia. Ele reconhece que algumas decisões judiciais "nos deixam perplexos", mas defendeu o dever de "aceitar as regras" institucionais. A opinião pública, segundo o tucano, pode participar e manifestar o sentimento social sem abandonar a Constituição.

"Então, isso nos coloca, como estamos hoje, em uma certa perplexidade. Nós, às vezes, achamos que a Justiça errou. Pode ser que tenha errado, mas nós temos que obedecer", reforçou.

Quando o juiz é "consciencioso", leva em consideração o apelo popular ao interpretar o texto da lei, segundo FH. Ele ressalva que o magistrado não pode atuar contra fatos nem contra leis.

"Em toda democracia, nós temos que acreditar que as instituições estão funcionando. Nós temos que fazer com que elas funcionem (...) E a Justiça tem regras, tem prazos, princípios. Ela se presta a interpretações. Portanto, não podemos pensar que a Justiça vai funcionar nem como cada um de nós quer nem de uma maneira automática, matemática. Ela tem aí uma certa margem de manobra", declarou o ex-presidente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário