Prefeito Doria diz que painéis de vidro na raia da USP ficarão prontos em janeiro


GUILHERME SETO - FOLHA.COM

Reprodução/Prefeitura 
Projeto dos painéis de vidro na raia olímpica apresentado por João Doria (PSDB)


O prefeito João Doria (PSDB) anunciou nesta quarta-feira (19) que o projeto de substituir o muro de concreto que separa a raia olímpica da USP da Marginal Pinheiros por painéis de vidro deve ser concluído em 20 de janeiro de 2018. De acordo com o prefeito, a ideia é integrar mais a Cidade Universitária à vida da capital.

"A marginal Pinheiros é a via de maior fluxo da América Latina. Cerca de 3 milhões de pessoas passam por ali diariamente. A existência do muro era um confinamento em relação à cidade e seus frequentadores", disse Doria em coletiva de imprensa.

Inicialmente, o projeto da prefeitura era o de substituir o muro de concreto por gradis. No entanto, após queixas de frequentadores de que a mudança geraria aumento de ruído e de poluição atmosférica na raia olímpica, surgiu a ideia da instalação dos painéis de vidro. Segundo Doria, o projeto de R$ 15 milhões será custeado por empresas parceiras e não envolve despesas por parte da prefeitura ou da USP.

Os painéis serão feitos de vidro temperado com espessura de 10 mm, com película de proteção, cerca de cinco vezes mais resistente do que um vidro comum. Junto aos 2,2 km de extensão do muro serão instaladas câmeras do projeto "City Câmeras" para vigilância da área.

"O muro reflete o que muitos pensavam sobre a universidade: separada do resto da cidade. Essa vida segregada levou às dificuldades financeiras que vivemos hoje. Temos a política inversa de que a universidade tem que se integrar o máximo possível. Ela tem que conversar com todos os setores senão perde sua função. Temos um lema: derrubar os muros da USP. Queremos deixar quem passa ver o que tem lá dentro. Vai ficar mais bonito e os paulistanos vão saber que aquilo ali é deles", disse o reitor da USP Marco Antonio Zago.

As obras no local começarão em setembro e deverão ser tocadas no período noturno para não interromper o fluxo de carros na região.

Questionado sobre reclamações do Ministério Público de que não estaria sendo informado do projeto, Doria deu resposta dura.

"Com todo o respeito ao promotor, eu não fui eleito por promotor, eu fui eleito pelo povo e eu tenho que prestar contas ao povo de São Paulo".

Zago adotou tom mais brando e disse que as informações serão repassadas ao Ministério Público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário