Lula é indiciado mais uma vez pela PF


Investigação apontou indícios de que a edição da MP 471 envolveu pagamento de R$ 6 milhões que seriam destinados ao PT, informa repórter Camila Bomfim, da TV Globo, Brasília

Fausto Macedo e Luiz Vassallo - Estadão


A Polícia Federal indiciou o ex-presidente Lula por corrupção passiva em um novo inquérito da Operação Zelotes – uma fatia da investigação que trata da suposta compra de Medidas Provisórias.

A informação foi divulgada pela repórter Camila Bomfim, da TV Globo, em Brasília, confirmada pelos repórteres do Estadão Andreza Mattais, Fábio Serapião e Fabio Fabrini.

Outros doze investigados também foram indiciados, entre eles os ex-ministros Gilberto Carvalho e Erenice Guerra e os empresários Carlos Alberto de Oliveira Andrade, da CAOA, e Paulo Ferraz, da Mitsubishi. Todos negam o envolvimento em atos ilícitos.

Essa investigação aponta especificamente para a MP 471, a MP do Refis, que ampliou incentivo fiscal às montadoras e fabricantes de veículos das regiões Norte, Nodeste e Centro-Oeste. O benefício seria extinto em 31 de março de 2010, mas acabou esticado para 31 de dezembro de 2015.

O inquérito, destaca Camila Bomfim, aponta inclusive encontros de Lula com o lobista Mauro Marcondes, conhecido do ex-presidente desde os tempos do sindicalismo no ABC paulista.

A PF sustenta que as negociações que teriam caracterizado corrupção tiveram início em 2009 – na ocasião, o petista ocupava pela segunda vez a Presidência.
A PF diz ter indícios sobre pagamento de R$ 6 milhões supostamente destinados ao PT.

“Existem indícios suficientes de materialidade e autoria do crime de corrupção ativa, pelas negociações e oferecimento de vantagem indevida, quando da edição da MP 471/2009, por parte do consó´rcio SGR/Marcondes e Mautonia e das empresas automobilísticas CAOA e MMC Automotores do Brasil, ao então secretário-geral da Presidência da República Gilberto Carvalho e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em benefício do Partido dos Trabalhadores”, afirma o relatório da PF.

Todos os indiciados pela PF beste inquérito negam taxativamente envolvimento no esquema apontado pela PF.

Nenhum comentário:

Postar um comentário