Governador Geraldo Alckmin diz que deve universalizar saneamento básico na Grande SP até 2021


G1 São Paulo

A imagem pode conter: céu e atividades ao ar livre
Alckmin operou retroescavadeira e retirou sedimentos do fundo do Rio Tietê, em Guarulhos 


O governador Geraldo Alckmin (PSDB) declarou, nesta quarta-feira (1º), que espera universalizar o saneamento básico na Grande São Paulo em um prazo de até quatro anos. O tucano fez previsões ainda mais otimistas para as cidades do interior e do litoral paulista.

Segundo Alckmin, a meta de tratamento de água e esgoto é uma das prioridades da Sabesp. “Esse ano nós vamos universalizar o interior de São Paulo. Cidades todas 300%: 100% de água tratada, 100% de esgoto coletado e 100% tratado", prometeu.

Ainda de acordo com ele, o mesmo deve ocorrer nos municípios litorâneos, só que em um prazo um pouco maior, de dois anos. “Cada praia tem um sistema próprio, então é mais demorado e mais caro.”

“E finalmente, acredito que em quatro anos nós devemos ter a região metropolitana de São Paulo também universalizada. Agora, têm grandes cidades que não são Sabesp, que não tratam praticamente, que tratam muito pouco o esgoto. Guarulhos, Mogi, Santo André, Mauá, aí é tarefa desses municípios”, concluiu o governador.

Alckmin participou na manhã desta quarta da inauguração de novas obras de limpeza e desassoreamento do Rio Tietê, em Guarulhos, na Grande São Paulo.

Os serviços, que vão custar R$ 55,9 milhões aos cofres públicos, prometem retirar 343 mil m³ de sedimentos das águas no trecho de 41 km entre a Barragem da Penha e o lago da barragem Edgard de Souza. Para promover a ação, o governador até operou uma retroescavadeira e retirou pessoalmente dejetos do rio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário