Governador Geraldo Alckmin dá início ao desassoreamento de 41,2 quilômetros do rio Tietê


Trabalho é feito de maneira contínua desde 2011 e já retirou mais de 10,8 milhões de m³ de detritos e sedimentos do rio Tietê e de seus afluentes

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, nuvem, céu, atividades ao ar livre, natureza e água

O governador Geraldo Alckmin acompanhou nesta quarta-feira, dia 1º, o início dos trabalhos de limpeza e de desassoreamento de 41,2 quilômetros do rio Tietê, no trecho compreendido entre a barragem da Penha e o lago da barragem Edgard de Souza. O Governo do Estado está investindo R$ 55,9 milhões no novo contrato, que é coordenado pelo DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica) e beneficia os municípios de São Paulo, Osasco, Carapicuíba, Barueri e Santana de Parnaíba.

“Hoje estamos iniciando uma grande obra de 41 km, começando na barragem Edgard de Souza, em Santana do Parnaíba, e vem até aqui, na barragem da Penha. Vamos tirar 500 mil m³ de material assoreado”, comentou Alckmin. “Além disso, está incluída também a operação das duas barragens e a manutenção e limpeza dos jardins que ficam entre o rio Tietê e as marginais”, disse.

As máquinas irão remover um total de 500 mil m³ de sedimentos e lixo depositados no fundo do canal, o que deverá contribuir para reduzir o risco de inundações nos municípios beneficiados. A expectativa é concluir o trecho em 12 meses. “Vamos manter o Tietê limpo e mais profundo, com isso ajudando na macrodenagem da Região Metropolitana de São Paulo”, explicou.

A imagem pode conter: céu e atividades ao ar livre
O trabalho inclui também a manutenção e operação das barragens Móvel e da Penha, do conjunto de pôlderes localizados nas pontes do Limão (margem direita), Vila Maria (margem direita e margem esquerda), Vila Guilherme (margem esquerda) e Aricanduva (margem direita e margem esquerda); dos taludes e bermas (plataforma localizada na base dos taludes) do rio Tietê na cidade de São Paulo, no trecho das avenidas marginais entre a barragem da Penha e o Cebolão, com remoção de areia, lixo e vegetação que cresce nas bermas e reparo de trincas nos taludes de concreto.


Desassoreamento do rio Tietê - outros trechos

Itaquaquecetuba - Mogi das Cruzes

O DAEE está realizando também o desassoreamento de 44,2 quilômetros do rio Tietê no trecho compreendido entre o córrego Três Pontes, na divisa de São Paulo com Itaquaquecetuba, e o córrego Ipiranga, em Mogi das Cruzes. As máquinas estão removendo um total de 343 mil m³ de sedimentos depositados no fundo do canal, o que deverá contribuir para evitar inundações nos municípios beneficiados: Itaquaquecetuba, Poá, Suzano e Mogi das Cruzes. O trabalho inclui também a remoção de grandes pedras e rochas para facilitar o escoamento do rio. O Governo do Estado está investindo R$ 37,7 milhões neste trabalho, que começou dia 20 de agosto e deverá estar concluído em fevereiro de 2018.


Biritiba Mirim - Salesópolis

O DAEE está investindo mais R$ 6,5 milhões no desassoreamento de 5 quilômetros do rio Tietê (a montante do canal de adução da Sabesp para o reservatório do Biritiba) e 5 quilômetros do rio Paraitinga (a partir da foz com o rio Tietê), nos municípios de Biritiba Mirim e Salesópolis. As máquinas estão removendo 61,5 mil m³ de sedimentos neste trecho, denominado Lote 5, que foi atingido por alagamentos em novembro de 2014. O DAEE já executou 25% do trabalho contratado neste trecho.


Próximo trecho: São Paulo - Itaquaquecetuba

O DAEE está concluindo o processo de contratação do trabalho de limpeza e desassoreamento de 25 quilômetros do rio Tietê entre a Barragem da Penha e a foz do córrego Três Pontes, na divisa dos municípios de São Paulo e Itaquaquecetuba.

O Governo do Estado vai investir cerca de R$ 40 milhões, nos próximos 10 meses, na remoção de 500 mil m³ de sedimentos depositados no fundo do canal. A expectativa é iniciar este trecho nos próximos 30 dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário