Governador Geraldo Alckmin congela o valor das tarifas do Metrô e da CPTM em SP


Preço da passagem não terá reajuste em 2017 e continua em R$ 3,80. Valor da tarifa do ônibus municipal também foi congelada por João Doria.

Tatiana Santiago, G1 São Paulo

Resultado de imagem para alckmin cptm

O valor das tarifas do Metrô e do trem da CPTM (Companhia Paulista de Trem Metropolitano) ficarão congeladas em 2017. O valor da passagem se manterá em R$ 3,80 no próximo ano. O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira (30) pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) durante a entrega de um trem na linha 7-Rubi da CPTM.

Alckmin decidiu seguir os passos do seu afilhado político, João Doria (PSDB), e não reajustar o valor das tarifas. Nesta quinta-feira (29), o governador havia dito que estava "raspando o fundo do tacho pra evitar reajuste".

Para manter o valor da passagem, o governo do estado deve rever algumas gratuidades.

O último aumento ocorreu no início deste ano quando as tarifas passaram de R$ 3,50 para R$ 3,80. Na mesma data, o valor da passagem dos ônibus foi reajustado.

A Prefeitura de São Paulo e o governo do estado têm tomado em conjunto decisões sobre os valores das tarifas dos ônibus municipais, trens e Metrô em conjunto nos últimos 5 anos. Os meios de transportes estão interligados pela integração do Bilhete Único e compartilham a receita arrecadada.


Ônibus

Promessa de campanha de João Doria, a manutenção das passagens dos ônibus em R$ 3,80 foi anunciada em outubro, um dia após ele vencer as eleições para a Prefeitura Municipal ainda no primeiro turno.

Desde então, o prefeito eleito estuda formas de minimizar o impacto da medida para os cofres municipais, já que os subsídios pagos às empresas de ônibus em 2016 para compensar gratuidades foram de cerca de R$ 2 bilhões. Apenas esse gasto representa mais de 3% de toda a arrecadação anual prevista para a cidade.

Uma das medidas que deverão ser adotadas pela prefeitura será interromper o passe livre para idosos entre 60 e 64 anos e que ainda não estejam aposentados. Doria defende que não faz sentido conceder esse benefício para munícipes nessa faixa de idade e que ainda são economicamente ativos. O benefício é obrigatório em todo o Brasil por legislação federal a partir dos 65 anos.

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir