Doria anuncia cortes em contratos, cargos comissionados e carros oficiai



ARTUR RODRIGUES - FOLHA.COM

João Doria (PSDB), prefeito eleito de São Paulo, durante reunião com secretários


O prefeito eleito João Doria (PSDB) anunciou neste sábado (3) uma série de cortes em gastos do município para 2017, como redução nos valores dos contratos e no número de cargos comissionados, além da venda da maioria dos veículos oficiais –os servidores deverão andar de táxi e Uber.

Prevendo a continuidade da crise econômica no país, ele disse que todos os contratos com prestadores de serviços sofrerão uma diminuição de preços de 15%, em decisão unilateral da prefeitura.

"Redução de valor de contrato não significa redução de serviço. Se não quiserem, rompemos o contrato. E se quiserem continuar prestando o serviço, como nós desejamos, continuarão prestando o serviço com uma redução de 15%", afirmou Doria.

O tucano anunciou ainda um corte de 25% nas demais despesas, com exceção de educação e saúde. "São medidas de contenção de despesas e redução orçamentária para permitir que possamos enfrentar 2017 com êxito e de uma maneira correta", disse Doria, no intervalo da primeira reunião com seu secretariado, realizada neste sábado.

Medidas de austeridade são tradição no início do mandato dos prefeitos. Entre outros, José Serra (PSDB) e Fernando Haddad (PT) também promoveram cortes assim que assumiram a máquina municipal, com o objetivo de diminuir o custeio.

A diminuição nos gastos, segundo Doria, ajudará a bancar os subsídios à tarifa de ônibus que ficará congelada em R$ 3,80 e a angariar mais recursos para investimentos.

Hoje a prefeitura já gasta mais de R$ 2 bilhões com os subsídios à passagem, quantia que deve subir mais de R$ 1 bilhão –já que a tarifa paga pelos usuários é insuficiente para custear os serviços.

O valor da economia prevista deve ser divulgado apenas nos próximos dias pelo futuro secretário municipal da Fazenda, Caio Megale.

Outra medida de contingenciamento anunciada foi o corte de 30% nos cargos comissionados. "Os que puderem avançar além desse número nós vamos elogiar e estabelecer um mecanismo de reconhecimento", disse.

Os cargos comissionados costumam ser usados para acomodar a base aliada na Câmara. No caso de subprefeituras, muitas vezes, vereadores são responsáveis pela indicação de cargos da região.

"Acabou o tempo da partilha política. Vereadores que se diziam donos das subprefeituras, agora prefeituras regionais, eram [donos]. Agora, isso acabou", disse Doria.


CARROS

O tucano afirmou ainda que a prefeitura vai se desfazer de seus cerca de 1.300 veículos, que serão leiloados ou devolvidos a locadoras.

Os funcionários, incluindo secretários, vão andar de táxi e de Uber –Doria usará seu próprio carro para trabalhar.

"É uma economia substantiva, de quase R$ 120 milhões por ano, contando o custo dos veículos, combustível, seguro, pneus, mecânica, motoristas, custos de estacionamento", justificou.

Haverá um veículo para cada secretaria e empresa municipal, além daqueles fundamentais para o trabalho, como os da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).

Um comentário:

  1. Deviam ao menos colocar o crédito do autor da foto q usaram... :(((

    ResponderExcluir