Senador Aloysio Nunes diz que Lula não tem 'limite' para falar infâmias



O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP)

MARIANA HAUBERT - FOLHA.COM

Acusado pelo ex-presidente Lula de querer alterar a Lei Maria da Penha para reprimir a própria mulher, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) rebateu o petista nesta terça (16) ao afirmar que ele não tem "limite" para falar infâmias.

Em ato pelos dez anos da lei nesta segunda (15), Lula afirmou que o tucano quer mudar a lei "certamente para reprimir a mulher".

Aloysio relatou um projeto na Comissão de Constituição e Justiça do Senado para que medidas de proteção a mulheres vítimas de violência doméstica sejam adotadas por delegados -hoje essa é uma prerrogativa dos juízes. A proposta, no entanto, não é unanimidade entre grupos que tratam sobre o assunto.

"Só posso atribuir tamanho despropósito de Lula aos efeitos do álcool, que tendem a exacerbar os traços mais cafajestes do caráter do personagem", rebateu Aloysio em uma nota publicada em sua página no Facebook.
Em uma provocação, ele "recomendou" que Lula "cure a carraspana e esfrie a cabeça no seu tríplex no Guarujá ou no seu sítio de Atibaia".

À Folha, o líder do governo no Senado afirmou que o petista "falsificou o conteúdo" do projeto. "O projeto aumenta a proteção às mulheres e não tira, como ele falou. Ele é um cafajeste", disse.

Aloysio afirmou ainda que se sentiu "nauseado" ao saber da história e que sua mulher ficou "tão indignada quanto ele". O tucano, no entanto, não irá processar Lula. "Ele já tem tantos problemas com a Justiça que eu não vou dar mais esse a ele", disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário