InCor supera marca histórica de mil transplantes de órgãos


Instituto ligado ao Hospital das Clínicas da FMUSP responde por mais de 40% dos transplantes de coração realizados em todo o Estado


O governador Geraldo Alckmin participou nesta segunda, dia 1º, da cerimônia em comemoração à marca de mil transplantes de coração e pulmão realizados, desde 1985, pelo Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. No período de pouco mais de três décadas, foram realizados na instituição 564 transplantes de coração em adultos, 230 de coração infantil e 286 de pulmão, totalizando 1.080 cirurgias (dados até 30 de junho de 2016).

“Um avanço extraordinário da ciência em benefício da vida da população, além de uma casa de formação para o país inteiro. Então, estamos aqui para agradecer, reconhecer, retribuir e dizer que contem conosco para fazermos esta instituição trazer bons frutos para nossa população”, disse o governador. Geraldo Alckmin lembrou ainda que “São Paulo não é apenas o maior transplantador, mas é também o maior doador de órgãos do Brasil. E a doação de órgãos é um ato de amor ao próximo”.

Inaugurado em 1977, o InCor responde por mais de 40% do total de transplantes de coração realizados em todo o Estado. Em 2015, a instituição paulistana realizou 59 cirurgias desse tipo, de um total de 141. O instituto também respondeu, no ano passado, por 38% dos transplantes de pulmão, com 24 procedimentos de um total de 63 feitos em todo o Estado.

Neste ano, já foram realizados no InCor 22 transplantes de coração, 21 de pulmão e seis de coração infantil. São procedimentos altamente complexos, que requerem profunda especialização da equipe médica.

Segundo Roberto Kalil Filho, presidente do conselho diretor do InCor, a organização das equipes de transplante em um novo modelo de gestão é um dos principais fatores que têm permitido ao instituto ampliar a realização de transplantes ao longo dos últimos anos. Criado em 2013, o Núcleo de Transplantes do InCor conta com uma área multiprofissional com foco exclusivo no transplante.

“Ao reunir num mesmo processo de gestão todas as equipes - cirúrgica, clínica e multiprofissional de transplantes de coração adulto e infantil e de pulmão -, o Núcleo otimizou recursos, deu sinergia ao trabalho dos grupos e melhorou indicadores importantes, como o da taxa de mortalidade no pós‐cirúrgico imediato”, afirma Kalil.

“O InCor é um centro de excelência e motivo de orgulho para a saúde pública paulista e brasileira. A expertise de seu corpo clínico, aliada a uma estrutura de primeira linha, explica o sucesso da instituição como referência nacional na realização de transplantes de pulmão e coração”, diz David Uip, secretário de Estado da Saúde de São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário