Lula é o vizinho menos desejado e Geraldo Alckmin tem baixa rejeição entre presidenciáveis


Para 43,9% dos entrevistados, não seria boa ideia ter o ex-presidente na casa ao lado. Na sequência, vêm Aécio Neves, Jair Bolsonaro, Marina Silva e José Serra. Sondagem do Instituto Paraná Pesquisas reflete a rejeição ao petista e aos demais possíveis candidatos em 2018

GUILHERME WALTENBERG - METRÓPOLES



As menções recorrentes ao nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas investigações da Operação Lava Jato surtiram um efeito curioso na proximidade que os brasileiros gostariam de manter com o ex-mandatário da República. Um levantamento do Instituto Paraná Pesquisas revelou nesta terça-feira (26/7) que, entre os possíveis presidenciáveis de 2018, Lula é aquele que as pessoas menos gostariam de ter como vizinho. Ao todo, 43,9% dos entrevistados não gostariam de ter o petista morando na casa ao lado. Na sequência aparecem Aécio Neves (PSDB), com 17,4%; Jair Bolsonaro (PSC), 11,3%; Marina Silva (Rede), 5,4%; José Serra (PSDB), 4,3%; Geraldo Alckmin (PSDB), 3,7%; Ciro Gomes (PDT), 2,7%; e Alvaro Dias (PV), 1,1%.

A desconfiança com relação ao petista é ainda maior quando ele é colocado em uma cena na qual um objeto sumiu misteriosamente. Dos entrevistados, 46,7% afirmaram que, se estivessem em uma festa e algo de valor sumisse, Lula seria o principal suspeito entre os presentes. Aécio aparece em um nada lisonjeiro segundo lugar, com 16,9%; seguido por Jair Bolsonaro (5,8%), José Serra (4,8%), Geraldo Alckmin (4,1%), Ciro Gomes (3%), Marina Silva (2,7%) e Alvaro Dias (1,1%).

A situação de Lula e Aécio melhora um pouco quando o assunto é uma reunião informal, como um almoço em casa. Marina Silva seria a presidenciável preferida para acompanhar o eleitor em uma refeição, com 20,2%. Na sequência, aparecem o petista (15,1%) e o tucano (12,6%). Serra tem 9,2% das preferências, à frente de Bolsonaro (8,7%), Alckmin (6,1%), Ciro (5,6%) e Alvaro (4,3%). Os entrevistados que não gostariam de receber nenhum dos possíveis candidatos somam 17,2% do total.


Presidenciável-babá

Na mesma linha, se os entrevistados precisassem de um presidenciável para cuidar de seus filhos pequenos por um dia, Marina Silva novamente aparece na liderança, com 31,9% das opções. Lula tem 9,7%, seguido por Aécio (7,8%), Serra (7,1%), Bolsonaro (6,4%), Alckmin (5,4%), Ciro Gomes (3,4%) e Alvaro Dias (2,8%).

Quando questionados sobre com qual dos candidatos deixariam a condução de uma grande empresa, Marina segue em primeiro lugar, com 18,1%. Com fama de bom gestor, José Serra aparece em segundo (14,1%), seguido por Lula (12,6%), Aécio (12%), Bolsonaro (7,2%), Ciro Gomes (6,7%), Alckmin (6,7%) e Alvaro Dias (3,5%).

O diretor do Instituto Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo, disse que cada uma das respostas busca, na realidade, captar algum sentimento da população em relação aos possíveis candidatos. A primeira — sobre qual deles o eleitor não gostaria de ter como vizinho — reflete a rejeição aos candidatos. Sobre o roubo, a imagem associada é a de corrupção. Quando uma criança é posta no cenário, avalia-se a confiança no presidenciável. Na questão sobre a capacidade para conduzir empresas, a percepção reflete a imagem de ser bom ou mau gestor.

A pesquisa foi realizada entre os dias 20 e 23 de julho. Foram entrevistadas 2.020 pessoas em 24 estados e no Distrito Federal, em um total de 158 municípios. No mesmo levantamento, foi revelado que 62% dos brasileiros gostariam de realizar novas eleições para presidente se tivessem essa opção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário