Governador Geraldo Alckmin propõe criação da Região Metropolitana de Ribeirão Preto


Estudos técnicos foram realizados pela Empresa Paulista de Desenvolvimento Metropolitano (Emplasa) e quatro audiências públicas debateram a proposta


O governador Geraldo Alckmin assinou nesta segunda-feira, 6, o Projeto de Lei Complementar que propõe criar a Região Metropolitana de Ribeirão Preto, composta por 34 municípios. A mensagem será encaminhada ainda hoje para a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, que deverá discutir e votar o projeto.

“A primeira região metropolitana no interior, fora da macrometrópole, é Ribeirão Preto. Já nasce grande, com mais de 1,6 milhão de pessoas e um PIB de quase 3% do Estado. Com uma economia muito diversificada. Agroindústria fortíssima, com indústrias de ponta, parque tecnológico, serviços, centros universitários, de saúde, pesquisa e inovação”, destacou o governador, reforçando que a RM buscará melhores soluções para o conjunto das cidades. “Terá um conselho com representantes das 34 cidades e do Estado. Um fundo metropolitano para financiar os projetos e uma agência, que será o braço executivo, inclusive para buscar recursos para a região”, comentou.

Resultado dos estudos técnicos realizados pela Empresa Paulista de Desenvolvimento Metropolitano (Emplasa), órgão responsável por cuidar do planejamento das regiões metropolitanas, o projeto da criação da RMRP contou uma audiência pública no mês de março e outras três em abril: Mococa (4/4), Jaboticabal (5/4) e Ribeirão Preto (5/4). Na ocasião, foram apresentados à população, autoridades, entidades de classe e associações civis, os estudos realizados para a criação da nova Unidade Regional.

Com características de uma região economicamente forte, a RMRP soma o potencial de empresas agrícolas, industriais, de comércio e de serviços, com destaque para os sistemas logísticos em transportes, comunicação e segurança, que passarão a ser planejados e providos de forma conjunta e ordenada regionalmente. Com a institucionalização de uma governança metropolitana, na qual os problemas e as soluções serão debatidos em conjunto, haverá natural atração de novos empreendimentos com consequente oferta de postos de trabalho e geração de renda para a população.

“A criação da RMRP é, portanto, o passaporte para um futuro com crescimento econômico e social, de forma contínua, sólida e ordenada. A integração regional garantirá viabilidade para novos investimentos e desenvolvimento de vários setores”, afirma o subsecretário de Assuntos Metropolitanos, Edmur Mesquita.

Ribeirão será a sexta região metropolitana instituída no Estado. Campinas, São Paulo, Baixada Santista, Vale do Paraíba e Litoral Norte e Sorocaba já são regiões metropolitanas.


RMRP em números


A Região Metropolitana de Ribeirão Preto será composta por 34 municípios: Altinópolis, Barrinha, Batatais, Brodowski, Cajuru, Cássia dos Coqueiros, Cravinhos, Dumont, Guariba, Guatapará, Jaboticabal, Jardinópolis, Luis Antônio, Mococa, Monte Alto, Morro Agudo, Nuporanga, Orlândia, Pitangueiras, Pontal, Pradópolis, Ribeirão Preto, Sales Oliveira, Santa Cruz da Esperança, Santa Rita do Passa Quatro, Santa Rosa do Viterbo, Santo Antônio da Alegria, São Simão, Serra Azul, Serrana, Sertãozinho, Taiuva, Tambaú e Taquaral.

Com população estimada de 1,6 milhão de habitantes (3,7% do Estado e 0,81% do país), segundo dados de 2014, a Região Metropolitana de Ribeirão Preto deverá ocupar um território de 14,8 mil km² (5,96% do Estado e 0,17% do país). O Produto Interno Bruto (PIB) da futura RMRP também será expressivo, atingindo R$ 48,38 bilhões, de acordo com dados de 2013. Esse valor representa 2,93% do PIB do Estado e 0,94% do PIB brasileiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário