Secretário Floriano Pesaro diz que modelo de gestão petista no ABC atrapalha parceria com Estado


Pesaro vê má vontade de prefeitos do PT na região

Raphael Rocha - Diário do Grande ABC


Secretário de Desenvolvimento Social no governo de Geraldo Alckmin (PSDB) em São Paulo, o deputado federal licenciado Floriano Pesaro disse esperar por eleições de quadros tucanos no Grande ABC para reverter “dificuldade de relacionamento” com gestores da região. Ele garantiu empenho e dedicação de Alckmin para prefeituráveis do partido, até mesmo em cidades onde haverá mais de uma candidatura de siglas aliadas ao Palácio dos Bandeirantes.

“Esperamos melhor relação com os prefeitos do Grande ABC. Tivemos dificuldades de relacionamento, especialmente com os do PT. Da nossa parte, não tivemos nenhum tipo de discriminação ou boicote. Respeito todos como mandatários que são, mas infelizmente percebemos má vontade. Às vezes nem é o prefeito, mas o modelo de gestão do PT. É modelo mais realista que o rei. Esperamos que possamos ter num futuro alinhamento maior e melhor com os candidatos que vamos lançar”, afirmou Pesaro, em entrevista ao Diário.
Em Destaque

Integrante do diretório estadual, Pesaro apontou que Alckmin pode até emprestar sua imagem a prefeituráveis de partidos aliados. Porém, o povo saberá distinguir os nomes realmente apoiados pelo governador. No Grande ABC, há três municípios onde existe saia justa: em Santo André, onde o PSDB lançou o ex-vereador Paulinho Serra, mas o PSB terá o ex-prefeito Aidan Ravin nas urnas; em São Bernardo, onde o deputado estadual Orlando Morando é o nome do PSDB, entretanto duela preferência de Alckmin com o deputado federal Alex Manente (PPS); e em Mauá, onde o ex-prefeito Clóvis Volpi (PSDB) briga pelo apoio eleitoral com o deputado estadual Atila Jacomussi (PSB).

“Os candidatos do governador são do PSDB. Coligações existem, dão sustentação, são parceiros, aliados, mas se o governador estivesse lá (nas cidades), votaria em candidatos do PSDB. Por exemplo, os candidatos do PSDB são Orlando Morando em São Bernardo e Paulinho Serra em Santo André. Usar imagem (do governador) pode usar, eles são parceiros. Mas o povo não é bobo. O povo sabe que o governador é do PSDB”, discorreu Pesaro. “O que vai mudar no futuro é a relação que Paulinho Serra ou Orlando Morando têm com o governador. Não é questão somente de uma imagem eleitoral. O que faz diferença é o fato de um futuro prefeito ligar para o governador e ele atender na hora.”

Na semana passada, o secretário-geral do PSDB nacional, deputado federal Silvio Torres, assegurou que Alckmin não entraria em embate nas cidades onde houver mais de uma candidatura da coalizão que apoia o tucano no Palácio dos Bandeirantes. “Na grande maioria dos municípios onde temos aliados em disputa conseguimos dar encaminhamento e juntar as forças. Há lugares onde não foi possível, não teve como unir. Nesses casos, ele (Alckmin) vai dar depoimento para o candidato do partido. Mas não pode também hostilizar nem impedir que usem a imagem dele, no caso dos outros. A estratégia é vencer os adversários. Temos de agir com cautela também”, vislumbrou Silvio Torres.

Nenhum comentário:

Postar um comentário