Minisitro da Justica e Cidadania Alexandre de Moraes fez carreira em governos do PSDB


Folha.com

O ministro da Justiça e Cidadania do governo Temer, Alexandre de Moraes
Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil

O novo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, deixou a carreira de promotor no Ministério Público de São Paulo em 2002, quando foi convidado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) para assumir seu primeiro cargo no Executivo, à frente da Secretaria de Justiça.

Em 2005, como presidente da antiga Febem (atual Fundação Casa).

Na Prefeitura de São Paulo, era chamado de "supersecretário" na gestão de Gilberto Kassab (hoje no PSD). Acumulou as pastas de Transportes e de Serviços e era cotado para suceder o prefeito, até que romperam, em 2010.

O racha fez Kassab rever, na ocasião, os principais projetos de Moraes. Os dois, que agora serão vizinhos na Esplanada, jamais reataram.

Dali até a posse como secretário de Segurança Pública em 2015, novamente em uma gestão Alckmin, Moraes advogou. Mantém um escritório em um edifício no Itaim-Bibi (zona sul paulistana).

Manteve-se próximo dos coronéis da PM até recentemente, quando, como chefe da Segurança, passou a enfrentar críticas por ser considerado muito "personalista" e "centralizador", além de fazer discursos muito contundentes, —recentemente, chamou protestos contra o impeachment de "guerrilha".

Como autor, é bastante citado. O ministro Gilmar Mendes, por exemplo, embasou a decisão que barrou a posse do ex-presidente Lula na Casa Civil com excertos de obras de Moraes. Para interlocutores, a meta dele é o STF.

Nenhum comentário:

Postar um comentário