Manifestantes ocupam segundo andar do Planalto em apoio a Dilma


NATÁLIA CANCIAN E MARINA DIAS - FOLHA.COM

Manifestantes pró-Dilma ocupam andar do Palácio do Planalto
Eduardo Anizelli/Folhapress 

Representantes de movimentos sociais contra o impeachment de Dilma Rousseff ocuparam nesta segunda-feira (9) parte do segundo andar do Palácio do Planalto, após evento com a presidente.

Fazem parte do grupo representantes da UNE (União Nacional de Estudantes), Ubes (União de Estudantes Secundaristas), CMP (Central de Movimentos Populares), MNLM (Movimento Nacional de Luta por Moradia), CUT (Central Única dos Trabalhadores), entre outros. A organização estima que 200 pessoas estejam no local, mas muitas delas foram embora ao final do evento.

Aos gritos de "ocupa e resiste" e "o Palácio é nosso", o grupo decidiu permanecer no Planalto após cerimônia com anúncio da assinatura de um projeto de lei para a criação de cinco universidades federais.

"Daqui não saio, já trouxe comida e roupa", disse a enfermeira Edva Aguilar, 59, filiada ao PT, enquanto mostrava uma mochila junto com um cartaz de "Fica, Dilma".

O grupo diz que deve permanecer no local "enquanto for necessário". "Esse é o escudo de proteção da Dilma", definiu a enfermeira.

"Não vamos sair de dentro do Palácio do Planalto até que a normalidade institucional seja reposta no país", afirmou Adriana Margutti, membro da Frente Brasil Popular. "Está sendo dado um golpe branco no Brasil. Cunha não pode destituir uma presidente eleita pelo voto popular", completou.

Os manifestantes também colaram nas janelas do Palácio do Planalto cartazes com dizeres de "Não ao golpe" e "Resistência e luta". Servidores do governo fecharam o acesso aos banheiros do Planalto e retiraram as cadeiras que foram utilizadas no evento para tentar desestimular a permanência das pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário