Documento prova que Andrade Gutierrez pagou R$ 6,6 mi a Pepper


WÁLTER NUNES - FOLHA.COM

Zuleika de Souza - CB/D.A. Press 
Danielle Fonteles, dona da agência de publicidade Pepper

Documentos fiscais obtidos pela CPI do BNDES mostram que em 2010 a empreiteira Andrade Gutierrez pagou R$ 6,59 milhões à Pepper Comunicação Interativa, agência de publicidade que trabalhou para a primeira campanha de Dilma Rousseff à Presidência, em 2010.

O valor coincide com o teor da delação do ex-presidente da Andrade Gutierrez Otávio Azevedo na Lava Jato. Ele afirmou que, naquele ano, desembolsou R$ 6,5 milhões em contratos fictícios com a agência para abastecer o caixa dois da campanha petista.

No registro do Imposto de Renda da Pepper a Andrade Gutierrez é descrita como fonte pagadora. Este é o primeiro documento que surge e reforça a delação do ex-presidente da empreiteira.

A agência é alvo da Operação Acrônimo, da Polícia Federal, que apura desvio de dinheiro em contratos de empresas com empréstimos no BNDES e financiamento irregular de campanha eleitoral.

A investigação apura se o atual governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), fez tráfico de influência no período em que era ministro do Desenvolvimento e presidente do Conselho de Administração do BNDES.

A Pepper pagou faturas do cartão de crédito de Carolina Oliveira, mulher de Pimentel. A dona da agência, Danielle Fonteles, negocia delação premiada na Acrônimo.

Em 2010 a empresa foi responsável pela campanha de Dilma na internet. Naquele ano, o IR da Pepper registrou que a agência recebeu R$ 1,2 milhão do Diretório Nacional do PT e mais R$ 6,492 milhões do comitê de campanha de Dilma Rousseff.

Nenhum comentário:

Postar um comentário