Temer aceita discutir de forma institucional participação do PSDB em governo


GUSTAVO URIBE - FOLHA.COM


O vice-presidente Michel Temer concordou na noite desta terça-feira (26) discutir a partir de agora de maneira institucional, com o comando nacional tucano, a participação do PSDB em um eventual governo peemedebista.

A resposta foi dada em encontro com os líderes do PSDB no Senado Federal, Cassio Cunha Lima (PB), e na Câmara dos Deputados, Antônio Imbassahy (BA), no gabinete da Vice-Presidência da República.

A reunião teve como objetivo iniciar uma relação institucional com o vice-presidente, evitando negociações paralelas.

As conversas entre o peemedebista e o senador José Serra (PSDB-SP), cotado para assumir o Ministério da Educação, incomodaram a cúpula nacional tucana.

"O que o PSDB não quer é que o PMDB faça conosco o que o PT tentou fazer com o próprio PMDB", disse Lima. "O PSDB deseja uma relação institucional, que é o melhor caminho", acrescentou.

Na conversa, os líderes tucanos também apresentaram de maneira resumida ao vice-presidente algumas condicionantes que o partido entregará em documento na semana que vem para que o PSDB integre a gestão do PMDB.

Eles citaram a Temer, por exemplo, o compromisso de manter e não interferir na Operação Lava Jato, a promessa de adotar medidas para recuperar a credibilidade do país e retomar o nível de investimento e a realização de na reforma política.

O partido estuda, por exemplo, a adoção de uma cláusula de barreira partidária e o voto distrital misto, bandeiras históricas do partido. Ele defende ainda a redução da máquina pública e o reequilíbrio das contas públicas.

"O PSDB vai ajudar o país a sair da crise", disse Lima. "Nós oferecemos uma contribuição efetiva para virar a página e apontar uma saída para o país", acrescentou.

Além dos líderes partidários, Temer deve se reunir nos próximos dias com o presidente nacional do PSDB, Aécio Neves.

Nenhum comentário:

Postar um comentário