"Não tem sentido ter nova eleição no Brasil", diz Geraldo Alckmin


Em conversa com Roberto D’Avila sobre a crise política, o governador de São Paulo diz que modelo político brasileiro está desgastado.


Em conversa com Roberto D’Avila sobre a crise política, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin disse estar certo de que, em caso de impedimento da presidente Dilma, o vice Michel Temer tem que assumir. “Não tem nenhum sentido ter nova eleição no Brasil, tem que cumprir a Constituição”, afirmou, lembrando que a Constituição é clara ao citar que, no impedimento do titular, assume o vice.

Ex-deputado federal e considerado o “vice que deu certo” no governo Covas, Alckmin afirma que a única hipótese para uma nova eleição é que, se o Superior Tribunal Eleitoral ao analisar o processo, declare a nulidade da chapa. Nesse caso, em 90 dias haveria nova eleição.

Em sua avaliação, a presidente Dilma é inexperiente: “Porque quando você não tem experiência muito grande e liderança, enquanto o céu está de brigadeiro, põe no automático; na hora que tem turbulência, precisa ter liderança. E aí não teve essa liderança”.

Alckmin lembrou que o vice Michel Temer foi escolhido duas vezes para assumir o cargo. “Ela poderia ter mudado, repetiu a chapa. O fato é que, a situação se agravou de tal forma, primeiro do ponto de vista ético e depois do ponto vista econômico, porque o PT que era o partido que defendia os pobres, acabou empobrecendo a população”, afimou o governador paulista.

Sobre a questão nacional, avalia que o modelo politico brasileiro está desgastado e exaurido. "Se não modificarmos o sistema político, daqui a alguns anos poderemos ter de novo a frustração das lava-jatos, das crises. A repetição de tudo isso", acrescenta Alckmin.

Nenhum comentário:

Postar um comentário