Governador Geraldo Alckmin participa de reunião no Supremo Tribunal Federal


Encontro teve como temas a dívida dos Estados e a mudança na fórmula de cobrança da taxa de juros


O governador Geraldo Alckmin participou nesta terça-feira, 19, em Brasília, de uma reunião no Supremo Tribunal Federal (STF) com outros governadores, o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, e o ministro do STF Edson Fachin. O encontro teve como temas a dívida dos Estados e a mudança na fórmula de cobrança da taxa de juros, de composta para simples.

De acordo com os governadores, ao longo dos últimos anos, a dívida dos Estados cresceu muito por conta da maneira como são cobrados os juros pela União. Para eles, enquanto houve concentração de recursos com a criação de contribuições pela União, os Estados arcaram, cada vez mais, com a prestação de serviços.

Para Alckmin, a reunião é uma iniciativa importante. "A situação de São Paulo é muito semelhante à dos demais Estados da Federação. Em 1997, o governador Mario Covas renegociou a dívida com a União, que naquele momento era de R$ 46,6 bilhões. Já pagamos R$ 130,3 bilhões e devemos hoje R$ 224 bilhões”, comentou Alckmin sobre os juros compostos. “São Paulo ainda entregou à União, como ativos na renegociação: Cesp, Comgás, Eletropaulo, CPFL, Ceagesp, Fepasa e o único banco que tinha, o Banespa. Tudo que o Estado tinha ele entregou para a União”, afirmou o governador, destacando as medidas de SP ao repactuar a dívida na década de 90.

Nenhum comentário:

Postar um comentário