73% dos leitores da Folha apoiam o impeachment de Dilma


Folha de S.Paulo



Sete em cada dez leitores da Folha defendem a saída da presidente Dilma Rousseff (PT) do cargo, seja por meio do processo de impeachment ou pela renúncia. 

O apoio ao afastamento da presidente pelo Congresso Nacional cresceu de 60%, no início do mês, para 73%.

A taxa de leitores que são favoráveis ao impeachment é próxima à registrada entre os brasileiros em geral.

Quando a mesma pergunta foi feita à população, entre os dias 17 e 18 de março, os números foram ligeiramente mais baixos: 68%. 

O percentual de leitores contrários ao impeachment caiu de 35% para 25%. A taxa de indiferentes se manteve em 1% e os que não opinaram recuou de 4% para 1%.

Segundo pesquisa Datafolha realizada entre os dias 29 e 30 de março, também houve aumento, de 63% para 68%, no total de leitores que acham que Dilma deveria renunciar à Presidência. Na população em geral, 65% pensam o mesmo.

O percentual de leitores contrários à renúncia da presidente recuou de 35% para 29%. Os que não opinaram se mantiveram em 2%.

O instituto entrevistou 727 pessoas que leem a Folha em todo o país pelo menos uma vez por semana. A margem de erro é de quatro pontos percentuais, para mais ou para menos.

O número de leitores que acreditam que a presidente Dilma será afastada do cargo também cresceu de 36% para 68%. O dos que não acreditam no afastamento da petista recuou de 54% para 23%.

Na população em geral, 46% dizem que ela será afastada; para 47%, não será afastada.

Entre os leitores da Folha, a reprovação ao governo da petista atingiu taxa recorde: 80% avaliam sua administração como ruim ou péssima.

Quando a mesma pergunta foi feita à população em geral, entre os dias 17 e 18 de março, 69% reprovaram a gestão da presidente.


TEMER

Os entrevistados também foram questionados sobre a avaliação a respeito de um eventual governo Michel Temer (PMDB), hoje vice-presidente da República.

Os leitores do jornal não têm expectativas muito otimistas em relação ao vice na Presidência. Só 14% imaginam que o peemedebista faria um governo bom ou ótimo. Para 40%, Temer seria um governante ruim ou péssimo. E outros 40% entendem que seria regular.

Os índices são próximos aos registrados na população em geral: 16% têm a expectativa de um eventual governo Temer ótimo ou bom.

Quando comparado com o governo Dilma, o eventual governo Temer é mais bem avaliado pelos leitores da Folha. Para 46%, o peemedebista faria um melhor governo do que a petista; para 33% será igual e para 17%, pior.

O leitor da Folha é mais otimista com Temer na Presidência do que a população em geral. Entre os brasileiros, 28% avaliam que o novo governo poderia ser melhor do que o atual; 38% avaliam que seria igual e 22%, pior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário