PM cercará atos pró e anti-Dilma para evitar confrontos no domingo


Thais Arbex - Folha.com


Para evitar confronto no próximo domingo (13) quando acontecerão atos contrários e favoráveis ao impeachment da presidente Dilma Rousseff, a Polícia Militar de São Paulo formará bolsões de segurança tática no entorno da avenida Paulista e da praça Roosevelt, onde acontecerão os protestos.

"Se eventualmente houver isso [deslocamento], estaremos com vários bolsões de segurança tática da Polícia Militar e será feito um bloqueio", disse.

Em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (9), o secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes afirmou que "não haverá a possibilidade de deslocamento" de qualquer um dos grupos.

"Não vamos permitir que dois grupos antagônicos se manifestem no mesmo local e no mesmo horário", disse. "Não será possível que um grupo da Roosevelt ou da Paulista se desloquem ao outro local."

Um centro de crise será instalado na sede do Copom (Centro de Operações da Polícia Militar) para monitorar, por meio de câmeras de segurança, a movimentação nos dois atos. O próprio secretário deve acompanhar de lá as manifestações.

Ao longo da Paulista serão instaladas 12 bases móveis da Polícia Militar e, segundo disse Alexandre de Moraes, policiais farão o "controle" de todo o entorno da avenida, inclusive dentro das estações do Metrô.

Reprodução da página do PT gaúcho na internet com convocação para ato no dia 13

O secretário não divulgou o número de policiais que estarão nas ruas, mas afirmou que prevê 1 milhão de pessoas na Paulista e 5.000 na praça Roosevelt, na região central de São Paulo.

Moraes voltou a dizer que no domingo só será permitido na Paulista a presença dos grupos pró-impeachment, que, segundo ele, fizeram a solicitação há mais de dois meses.

De acordo o secretário, os grupos que estão organizando o ato na Roosevelt ainda não entraram em contato com a Polícia Militar e com a Secretaria de Segurança Pública. Ele disse esperar que eles os procurem até o fim do dia, caso contrário a própria secretaria fará o contato para saber os detalhes do ato.

"A Secretaria de Segurança Pública vai garantir absoluta tranquilidade para aqueles que queiram se manifestar na Paulista e absoluta tranquilidade para aqueles que queiram se manifestar na praça Roosevelt."

Representantes dos grupos pró-impeachment se reunirão nesta tarde com o comando da Polícia Militar para definir os detalhes do ato na Paulista.

De acordo com o secretário, os movimentos colocarão oito carros de som na avenida e a Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) instalará a um palco em frente a sua sede.

Ao falar das cores das roupas dos manifestantes, Alexandre de Moraes recorreu à comparação com jogos de futebol. "Você não vai com uma camisa do Palmeiras na torcida do Corinthians e você não vai com a camisa do Corinthians na torcida do Palmeiras", disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário