Lula e comitiva chegam a Brasília em dois jatinhos, sendo um usado pela Odebrecht


LULA CHEGOU NESTE JATINHO, COM PREFIXO LFT, QUE COINCIDE COM O NOME DE EMPRESA DO FILHO DELE

Tiago de Vasconcelos - Diário do Poder 

O EX-PRESIDENTE DESEMBARCOU EM BRASÍLIA NO LUXUOSO CITATION 560 XL, PREFIXO PR-LFT
 FOTO: ORLANDO BRITO

A comitiva do ex-presidente Lula chegou a Brasília, agora há pouco, em dois jatinhos executivos. Do primeiro, um luxuoso Gulfstream G-200, prefixo PR-WTR, desceram outras pessoas, ainda não identificadas. Segundo registros da Polícia Federal, é o mesmo avião usado por Lula para viajar a serviço da Odebrecht, na companhia do diretor da empreiteira Alexandrino Alencar, preso na Lava Jato.

NESTES AVIÕES, USADOS NESTA TERÇA (15) PELA COMITIVA DE LULA, CHEGARAM A COMITIVA E O PRÓPRIO EX-PRESIDENTE
FOTO: ORLANDO BRITO

Cinco minutos depois, estacionou também, no hangar da Global Táxi Aéreo, o jatinho que trouxe o ex-presidente. Lula usou o Cessna jatinho prefixo PR-LFT, igual ao modelo que caiu e matou o ex-governador pernambucano Eduardo Campos. Por sua assessoria, a Global garantiu que o primeiro avião, prefixo PR-WTR, não foi fretado a pessoas ligadas a Lula, mas não informou os nomes dos clientes. A empresa confirmou que o ex-presidente chegou a Brasília no Cessna prefixo PT-LFT. A Global considera que ambos os aviões chegaram simultaneamente a Brasília, no mesmo hangar, por "coincidência".

De acordo com informações da Superintendência de Aeronavegabilidade da ANAC, o jatinho PR-WTR é operado pela Pássaro Azul Táxi Aéreo Ltda., empresa com capital social declarado de apenas R$ 260 mil e administrada por Ricardo Breim Gobbetti e Márcio Roberto Pacheco, cujos sócios são outras duas empresas: Global Aviation S.A. e SSR Assessoria e Prestação de Serviços Ltda.

A SSR também tem a Global Aviation como sócia e R$ 50 mil de capital social. Já a Global Aviation declarou capital social de apenas R$ 500 à Receita Federal. Ambas as empresas têm Décio Ricardo Galvão e Edgard Salles Lopes Neto como administradores.

O jato Gulfstream G200 prefixo PR-WTR foi usado por Lula entre 2011 e 2015 para fazer luxuosas viagens ao lado do lobista da Odebrecht Alexandrino Alencar, preso na operação Lava Jato, acusado de ajudar a empreiteira a operar as propinas do petrolão no exterior. Na sala de Alexandrino, na sede da Odebrecht em São Paulo, uma foto com Lula dividia espaço com retratos de familiares do executivo, à época da busca e apreensão da PF.

No despacho de prisão de Alexandrino, o juiz Sérgio Moro escreveu: “Além das provas em geral do envolvimento da Odebrecht no esquema criminoso de cartel, ajuste de licitações e de propina, há prova material de proximidade entre Alberto Youssef e Alexandrino Alencar”.

RELATÓRIO DA POLÍCIA FEDERAL OBTIDO PELA REVISTA ÉPOCA, EM 2015.

Relatório da PF de maio de 2011, mostra que Lula passou pelo sistema de migração da Polícia Federal às 7h07; o lobista da Odebrecht, quatro minutos depois. Segundo a revista Época, que publicou o relatório no ano passado, “estavam juntos, como juntos estavam em mais aventuras do que admitem até hoje.”

Estão comprovadas duas viagens da dupla, que já haviam sido noticiadas (para Cuba e para Guiné Equatorial), e o relatório mostra que Lual e o lobista estiveram juntos em mais quatro ocasiões (numa viagem ao Panamá; numa outra para Colômbia, Peru e Equador; numa terceira para Portugal; e numa quarta para a África, passando por Angola e Gana).

A DECORAÇÃO INTERNA É MUITO LUXUOSA NO GULFSTREAM QUE TEM AUTONOMIA TRANSCONTINENTAL.

Nenhum comentário:

Postar um comentário