Governador Geraldo Alckmin dá posse ao novo secretário da Educação, o desembargador José Renato Nalini


Secretário comandará a maior rede de ensino do Brasil e da América Latina, com 5,3 mil escolas, 300 mil funcionários, entre professores e servidores, e 3,8 milhões de alunos


O governador Geraldo Alckmin oficializou nesta quinta-feira, 28, o novo secretário de Estado da Educação de São Paulo, José Renato Nalini. Desembargador e professor universitário, ele ocupa a vaga deixada por Herman Voorwald, em dezembro. A cerimônia foi realizada no Palácio dos Bandeirantes e contou com a presença de secretários estaduais e municipais, educadores paulistas, parlamentares e autoridades do Judiciário.

O novo secretário assume o cargo com a missão de comandar a maior rede de ensino do Brasil e da América Latina, com mais de cinco mil escolas, aproximadamente 300 mil funcionários, entre professores e servidores, e 3,8 milhões de alunos do Ensino Fundamental, Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos.

"O Dr. José Renato Nalini é professor há mais de 40 anos, começando lá na sua cidade, Jundiaí. É professor, doutor, homem da cultura, foi presidente da Academia Paulista de Educação e tem espírito público, que é essencial para servir a sociedade”, ressaltou Alckmin, que ainda destacou a capacidade do novo secretário para dialogar com todos os protagonistas da rede estadual, alunos, pais, professores e a sociedade. “Nós estamos muito confiantes e com todo o apoio para que ele faça um ótimo trabalho na Secretaria, em benefício da educação pública de São Paulo", disse Alckmin.

Nascido em Jundiaí, Nalini é formado em Ciências Jurídicas e Sociais na Faculdade de Direito da PUC-Campinas, mestre e doutor em Direito Constitucional pela Faculdade de Direito da USP. À frente do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo até 2015, foi responsável pela modernização do Judiciário, por meio da informatização de procedimentos. Também estabeleceu uma série de parcerias com o Governo do Estado, entre elas as audiências de custódia que dinamizam a apresentação de presos em casos de flagrantes.

“Eu tenho plena autonomia para começar a dialogar e ouvir todos os interessados, em verificar aquilo que cada comunidade quer. O que é bom, em termos de educação, de acordo com a Constituição, é que ela abre um leque de possibilidades e nós não precisamos de camisa de força. Basta verificar a explicitude do artigo 205 da Constituição, que responsabiliza a família, o estado e sociedade pela educação”, disse Nalini. “Logo a seguir, a Constituição destaca alguns princípios, dentre eles, a liberdade de ensino, a autonomia pedagógica e nós não temos que seguir uma só linha", explicou o secretário da Educação.


Ainda sobre manter diálogo com a comunidade escolar, Nalini acrescentou que vai “chamar todos aqueles que puderem colaborar para que nós possamos fazer com que a escola de São Paulo seja um lugar sedutor. A escola tem que ser um centro de convergências de interesse comunitário.”

Na área da educação, atua desde 1969 como professor universitário, com passagens pela Faculdade de Engenharia de Barretos, Faculdades de Direito da PUC-Campinas, USP, Padre Anchieta, FAAP e Uninove. É ainda especialista em formação, preparo, educação e seleção de juízes, tendo colaborado com a Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados.

Esta também não é a primeira vez que José Renato Nalini comanda uma pasta executiva de educação. Foi secretário interino em Jundiaí, substituindo a professora Claudia Maria de Lucca, no governo de Walmor Barbosa Martins, no final da década de 1960.


Nenhum comentário:

Postar um comentário