Os motivos que deram a Geraldo Alckmin o prêmio de melhor gestor de águas do Brasil



Segundo o Plansab 2013 (Plano Nacional de Saneamento Básico) do Ministério das Cidades. São Paulo é o Estado brasileiro com maior cobertura de abastecimento de água seguro e contínuo do Brasil com índice superior a 99%. Ainda segundo os dados do Plansab, São Paulo investiu 31,3% de tudo o que foi investido no Brasil em abastecimento de água entre 1995 e 2011 (nada menos do que R$ 18,9 bilhões). 

O  Plansab de dezembro de 2013, de cada 5 brasileiros, 2 têm problemas em receber água em suas casas. São 77 milhões de pessoas. Espalhados pelo Brasil. Desse universo, 12,8 milhões de pessoas, ou 6,8% da população, não têm qualquer tipo de atendimento. Os 64,2 milhões restantes convivem com problemas como o rodízio de água, por exemplo.

São Paulo só conseguiu alcançar os melhores índices de saneamento básico e será o primeiro estado do país a universalizar o saneamento básico porque investe mais de um terço de tudo o que é investido pelo país todo na área. Os valores investidos são refletidos na imensa obra realizada: entre 1995 e 2014 a Sabesp fez nada menos do 3.8 milhões de novas ligações de água e 3.4 milhões de novas ligações de esgoto – é como fazer toda a ligação de saneamento básico, ligando torneiras com água tratada e vasos sanitários, na casa de toda a população de uma megalópole como a cidade de São Paulo.

Em 1995, quando o PSDB assumiu o Governo, mais de 5,5 milhões de pessoas sofriam diariamente com o rodízio de água na RMSP. Três anos depois em 1998 o rodízio acabou, graças a um conjunto de 80 grandes obras do Programa Metropolitano de Água criado pelo PSDB. Mas nem por isso as ações pararam. Nessas últimas duas décadas um total de R$ 9,3 bilhões foram investidos em obras de ampliação da capacidade de fornecer água tratada nos cinco sistemas de abastecimento de RMSP (Alto Tietê, Guarapiranga, Rio Grande, Alto Cotia, Baixo Cotia). Estas obras aumentaram a produção em mais 15,6 m3 por segundo – o suficiente para abastecer duas grandes capitais como Salvador e Fortaleza (5,5 milhões de pessoas). Quando o PSDB assumiu em 1995, a água tratada só chegava a 70% dos lares da RMSP, hoje chega a 99%.

Nas 173 páginas do documento não há nenhum alerta ou projeto específico apontado para o Cantareira ou mesmopara o Estado de São Paulo.

São Paulo apresentou o menor percentual de pessoas em domicílios com abastecimento de água e esgotamento sanitário inadequados do país , segundo o “Atlas da Vulnerabilidade Social” do Instituto de Pesquisas Aplicadas (Ipea) divulgado em stembro deste ano. No indicador do estudo que contempla os serviços de saneamento básico o Estado tem o índice (0,6) mais baixo entre as 27 unidades da federação e dez vezes mais baixo do que o índice nacional.


Os resultados do Atlas do Ipea comprovaram o que outros dados oficiais do Ministério da Cidades e do IBGE já demonstraram anteriormente: São Paulo é o Estado que mais investe e, consequentemente, o que tem o melhor e mais universal sistema de saneamento básico do Brasil.

Vários dados nacionais e os fatos mostram que São Paulo é o estado brasileiro em melhores condições em saneamento básico. Isso, por causa do empenho e muito investimento do governo paulista. 

Portanto, nada mais merecido que o governador Geraldo Alckmin ser escolhido para receber o prêmio pela gestão da água no Estado de São Paulo, dado a ele pelo Congresso Nacional

Nenhum comentário:

Postar um comentário