Nota de esclarecimento de Fernando Henrique Cardoso sobre entrevista ao jornal alemão



"A respeito de entrevista que dei a um jornal alemão, a cujo texto completo não tive acesso, mesmo porque está em alemão, convém esclarecer que na nota do UOL não há as perguntas feitas, só aparecem minhas respostas. A entrevista foi dada há algum tempo, não me recordo os termos que usei. Mas, ao falar ao estrangeiro cuido sempre de não ser agressivo com políticos brasileiros.

Por outro lado, não falo, ao estilo lulopetista, desconhecendo o passado e negando fatos. Lula, gostemos ou não dele e de suas políticas, foi o primeiro líder operário a chegar à Presidência, o que tem inegável peso simbólico. Por que haveria eu de dizer ao exterior que merece cadeia? Se o merecer, quem dirá será a Justiça e é de lamentar, porque terá jogado fora (coisa que vem fazendo aos poucos) sua história.

Não se constrói o futuro com amargor, nem desmerecendo feitos.Tampouco poderá ele se erigir tapando o sol com a peneira. Mas nas democracias não é o interesse de pessoas ou de partidos quem dá a palavra final. É a Justiça. Podemos até torcer para que ela atue. Mas o bom senso de cada líder deverá conter seus naturais impulsos por "justiça já", ou a qualquer preço, em favor da moderação e do respeito às regras do jogo. O fato dos adversários não se comportarem assim não deve nos levar a que nos igualemos com eles."

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO

Um comentário: