Escândalos no Brasil trazem medo de volta da instabilidade, diz NYT


BBC BRASIL


Os escândalos de corrupção no Brasil têm alimentado temores que o país possa retornar a um período de instabilidade, disse o jornal americano "New York Times" nesta quinta-feira.

A reportagem de capa "Esforço anticorrupção lança a liderança do Brasil em desordem" cita os efeitos da operação Lava Jato, da Polícia Federal, sobre irregularidades na Petrobras. Dezenas de políticos e empresários são investigados sob suspeita de participação no esquema de desvios na estatal.

O diário diz que a operação é uma "cruzada que tem atingido uma personalidade política atrás da outra, lançando o país em convulsão num momento em que o humor nacional está azedando e a economia se recupera de uma recessão dolorosa."

O "NYT" também cita manobras de "grandes segmentos políticos" que têm sinalizado com a possibilidade de impeachment da presidente Dilma Rousseff, e afirma que para muitos brasileiros as atuais incertezas políticas são a pior crise desde o retorno à democracia, em 1985.

"Tal turbulência deveria ser coisa do passado para o Brasil", diz a reportagem.

"Analistas políticos dizem que, se (Dilma) Rousseff for retirada do poder por seus adversários sem nenhuma evidência explícita de irregularidades, a democracia do Brasil pode ser mais frágil do que o que se pensava, o que leva a comparações a um período que muitos brasileiros acreditavam terem superado."

Dilma foi presidente do Conselho de Administração da Petrobras entre 2003 e 2010, quando acredita-se que parte do esquema de desvios na estatal tenha sido realizado, mas nega conhecimento das irregularidades e não foi citada por delatores que cooperam com a Lava Jato.

Há suspeita de que parte do dinheiro desviado da Petrobras possa ter sido usado no financiamento da campanha eleitoral dela.

A Lava Jato prendeu importantes empresários, como Marcelo Odebrecht, presidente da empreiteira Odebrecht, e investiga os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). O tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, também foi detido.

No entanto, diz o jornal, o Brasil "mudou consideravelmente" desde a ditadura (1964-1985), deixando para trás uma economia confusa e abusos de direitos humanos e que a atual crise política pode ser uma indicação da maturidade das instituições do país.

"Alguns observadores dizem que a confusão política é um sinal de que as instituições democráticas do Brasil estão, na verdade, se fortalecendo, especialmente num sistema por muito tempo definido pela impunidade de figuras importantes."

Além do cenário político, o jornal comenta a atual crise econômica - o Banco Central prevê retração de mais de 1% neste ano - como um dos motivos que levarão brasileiros a protestar contra a presidente no domingo. A expectativa é de que os atos, que serão realizados por todo o país, reúnam centenas de milhares de pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário