Em São Paulo criminalidade cai e latrocínios chegam à marca mais baixa desde 2012


Roubos e furtos em geral e de veículos, sequestros e estupros caem nos primeiros seis meses do ano. Taxa de 9,38 mortes intencionais por 100 mil habitantes é a menor da história


Secretário fala sobre a redução dos índices criminais no semestre

O Estado de São Paulo fechou o primeiro semestre do ano com queda nos principais indicadores de crimes patrimoniais e contra a vida.

Os latrocínios obtiveram importante recuo no semestre, chegando a patamares menores do que os obtidos em 2012, 2013 e 2014. Apesar do aumento em dois casos de latrocínio em junho de 2015 (29) em relação a junho de 2014 (27), no 1º semestre desse ano, os roubos seguidos de morte caíram 11,94% em relação ao mesmo período do ano passado. O total de ocorrências passou de 201 para 177, ou seja, 24 casos a menos.


“Podemos atribuir os bons índices ao trabalho integrados das polícias, à proximidade com as instituições, como o Ministério Público, Poder Judiciário, municípios, guardas civis, sindicatos e, principalmente, com a sociedade”, explicou o secretário da Segurança Pública, Alexandre de Moraes.

Os roubos em geral tiveram redução de 6,19%, em junho, mantendo a tendência de queda desse ano, que obteve diminuição desse índice em 5 dos 6 meses, acumulando redução de 5,56% no semestre, com 8.977 ocorrências a menos.

Em junho, também os furtos em geral mantiveram a tendência de queda (5 dos 6 meses do ano), apresentando recuo de 2,15% nas ocorrências. É o índice mais baixo para o mês desde 2002.

Os furtos em geral, no semestre, tiveram 8,03% registros a menos que no mesmo período do ano passado, com a redução de 21.488 casos, chegando ao menor número para os seis meses iniciais do ano, desde 2002: 


Em junho, os roubos de veículos caíram 32,3%, com 2.549 casos a menos. Cabe destacar que o indicador está em queda há 13 meses no Estado. É o segundo menor número de roubos de veículos da série histórica:


No semestre, o roubo de veículos acumulou forte queda de 26,13%, com 13.800 ocorrências a menos do que o mesmo período de 2014, e, inclusive, atingiu índices menores do que os anos de 2012 e 2013:


O recuo também aconteceu nos furtos de veículo. De janeiro a junho deste ano, houve redução de 11,33%, com 7.184 ocorrências a menos. “Esses indicadores são fruto de um trabalho de inteligência, união e coordenação policial”, atribuiu o secretário Alexandre de Moraes, que destacou a diminuição, em junho, dos furtos de veículo. O indicador caiu 12,93%, com 1.277 ocorrências a menos no mês.

Acompanhando a queda dos crimes patrimoniais, o Estado de São Paulo apresenta queda nos roubos de carga pelo segundo mês consecutivo. A redução em junho é de 11,25%, com 74 casos a menos em relação a igual mês do ano passado. O indicador passou de 658 para 584. É a primeira vez no ano que o número de ocorrências é menor que 600.


A análise do último trimestre também aponta que o indicador está em queda. Houve recuo de 3,85%, no período de abril, maio e junho, em relação aos meses de 2014. O número passou de 2.132 para 2.050 – 82 casos a menos. No semestre, entretanto, houve uma leve elevação de 2,84% em relação ao mesmo período do ano anterior. Também, houve variação no índice de roubo a banco, em 2,25%, com o aumento de 2 casos no semestre (89 em 2014 e 91 em 2015).

Os estupros caíram 11,54% nos seis primeiros meses, com 591 ocorrências a menos. Esta é a 25ª queda desse crime nos últimos 26 meses. O índice atual é o menor desde 2009, quando entrou em vigor a nova lei de estupro (12.195/2009), que incluiu nessa natureza outras classificações de crimes, como o atentado violento ao pudor.


No mês de junho, os estupros caíram 10,39%, com 79 casos a menos. Esta é a 25ª queda desse crime nos últimos 26 meses. O índice atual é o menor desde 2009.

As extorsões mediante sequestro apresentaram recuo de 19,05% de janeiro a junho, passando de 21 para 17 registros. É o menor índice registrado no período de toda série histórica e a primeira vez que o indicador fica abaixo de 20.


RECORDE HISTÓRICO NO ÍNDICE DE HOMICÍDIOS

O Estado de São Paulo bate novo recorde na queda dos homicídios dolosos com o fechamento do primeiro semestre do ano. Com a redução de 11,62% nas mortes intencionais nos seis primeiros meses, o índice caiu para 9,38 ocorrências por 100 mil habitantes – a menor taxa da história. É a primeira vez que o semestre contabiliza um número menor de 2.000 homicídios.

“Pela primeira vez desde o início da série histórica, em 2001, um primeiro semestre fecha com menos de 2.000 mortes em todo Estado de São Paulo”, destacou Alexandre de Moraes.


O secretário já havia adiantado os dados de mortes intencionais na sexta-feira (24), junto com o governador Geraldo Alckmin. “São Paulo é o único Estado que se mantém dentro do limite de homicídios aceitável pelo Organização Mundial da Saúde (OMS) ”, relembrou Moraes.

O número de ocorrências é também o menor para um mês de junho em toda a série histórica, iniciada em 2001. Com 262 casos registrados, a redução foi de 18,38% no mês em relação aos 321 homicídios registrados em junho de 2014 – 59 a menos.


MENOR TAXA DO BRASIL

No primeiro semestre de 2015, São Paulo continua tendo a menor taxa de mortes intencionais do país, de acordo com o último Anuário Brasileiro de Segurança Pública, produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em 2014.

O índice do Brasil é de 23,7 homicídios dolosos por 100 mil habitantes. O gráfico abaixo aponta que se o Estado de São Paulo fosse desconsiderado da contabilidade, o Brasil teria uma taxa ainda maior, totalizando 27,5/100 habitantes – 16,03% maior.

Com os índices de São Paulo dentro do Brasil, o país mantém uma taxa 13,82% menor.


Fonte: 2004 a 2014 - Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança
2015 – Dados dos últimos 12 meses (jul14 a jun15) – Res SSP 160

Clique AQUI para continuar lendo.



Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria da Segurança Pública

Nenhum comentário:

Postar um comentário