Às vésperas da convenção, Alckmin ganha mais espaço na direção do PSDB


Daniela Lima - Folha.com


O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, conseguiu, às vésperas da convenção de seu partido, o PSDB, ampliar o espaço de seus aliados na direção da sigla. O acerto foi feito com o presidente nacional da legenda, Aécio Neves (MG), nesta quarta-feira (1).

O paulista conseguiu a indicação do deputado Eduardo Cury (PSDB-SP), que ficará responsável pela interlocução da cúpula da legenda com os prefeitos tucanos.

Alckmin já havia emplacado o deputado Silvio Torres (PSDB-SP) na secretaria-geral do PSDB. Ele ainda articulou a nomeação do suplente de senador José Aníbal (PSDB-SP) à presidência do ITV (Instituto Teotônio Vilela), que tem orçamento próprio e é responsável pela elaboração de estudos e teses da sigla.

O ex-governador Alberto Goldman (SP) —então vice-governador, ele assumiu o governo paulista em 2010 quando José Serra (PSDB) renunciou para disputar a Presidência—, que recentemente fez críticas aos rumos que o partido tem tomado sob o comando de Aécio, será mantido em uma das vice-presidências da sigla.

O acerto em torno da nomeação de Cury foi feito após emissários de Alckmin sinalizarem que o governador ainda não se sentia plenamente contemplado com a formação da nova executiva. Alckmin não criou embaraços para a reeleição de Aécio como presidente nacional da legenda, mas cobrava mais espaço para seus aliados em postos-chave.

Aécio, por sua vez, manteve o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) como vice-presidente da sigla, e nomeou o tesoureiro do PSDB, deputado Rodrigo de Castro (PSDB-MG).

Nenhum comentário:

Postar um comentário