Aécio desafia Dilma a provar que teve atitude golpista


Senador tucano volta a rebater a presidente e diz que não deseja mal para ela

RICARDO BRITO - O ESTADO DE S. PAULO

Aécio Neves disse que decisão do TCU pode ter consequências graves para o futuro

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), respondeu a presidente Dilma Rousseff e a desafiou a demonstrar quando ele teve alguma atitude golpista ao defender as investigações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e do Tribunal de Contas da União (TCU) que podem, em caso de condenação, levá-la a deixar do cargo. Nesta quinta-feira, 9, em Ufá, na Rússia, Dilma disse que golpista "é quem prejulga" e não respeita as instituições, em referência ao tucano.

"Desafio a presidente da República demonstrar em que instante, eu, como presidente do PSDB, dei qualquer declaração de desrespeito à Constituição e à soberania das instituições", cobrou Aécio, da tribuna do Senado. Para ele, a petista busca criar um factoide de algo que não é real.

O tucano citou discurso feito por ele nessa quarta, 8, para afirmar que ainda não há um julgamento do TCU sobre as contas do governo de 2014. Esse julgamento poderá levar à reprovação das contas, abrindo caminho para a abertura de um eventual processo de impeachment contra a presidente no Congresso.

"É absolutamente inacreditável a desconexão da presidente Dilma com a realidade", afirmou ele, dizendo estar preocupado com a "instabilidade" da presidente. "Não permitiremos é que instituições de Estado sejam constrangidas por ação do governo", completou.

Aécio disse que não deseja mal a presidente, de forma alguma. Mas, destacou, os fatos que se sucedem geram grande incerteza. Segundo ele, Dilma deveria falar que "errou, fracassou e falhou" na condução de uma série de questões, como o controle da inflação e do desemprego. "Isso não é obra da oposição, a oposição não é golpista", rebateu. Em convenção do PSDB no domingo em que foi reconduzido à presidência da sigla, o partido defendeu abertamente o afastamento da presidente e a realização de novas eleições.

O tucano disse que Dilma terá a oportunidade de se defender no TSE e no TCU e destacou que ninguém, nem a presidente da República, está acima das instituições. Ele afirmou que não há qualquer tentativa da oposição de fazer um prejulgamento.

"Quero repelir, de forma mais veemente, as insinuações da presidente da República", disse. "Economize as suas energias com a oposição. Concentre suas forças e energias para se defender sobre as inúmeras denúncias que recaem sobre Vossa Excelência e seu partido", afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário