Entrevista de Pedro Tobias, presidente do diretório estadual do PSDB-SP


Pedro Venceslau - Estadão

O deputado estadual e presidente do PSDB paulista Pedro Tobias 

Eleito presidente do PSDB paulista no dia 14, o deputado estadual Pedro Tobias tem um perfil completamente diferente do seu antecessor, o deputado federal Duarte Nogueira, que atualmente comanda a secretário de Logística e Transporte do Estado. Extrovertido, o novo dirigente não mede palavras na hora de falar sobre o futuro da sigla e seus problemas internos. E o principal deles hoje, diz Tobias, é o profundo racha no diretório municipal tucano da capital. O vereador Mario Covas Neto e o ex-deputado José Aníbal travam uma disputa pelo comando da executiva da sigla que tem como pano de fundo a eleição municipal do ano que vem. Nessa entrevista ao Estado, Tobias também deixa uma janela aberta para os tucanos conversarem sobre um palanque em comum no ano que vem.

Estado - Quando o PSDB definirá o seu candidato a prefeito? 
Em dezembro, ou no máximo em janeiro. O (deputado Celso) Russomanno (PRB) já tem o recall da última eleição. (A senadora) Marta (Suplicy) foi prefeita e o (Fernando) Haddad está no cargo. Temos que começar a construir um nome o mais rápido possível, e essa briga no diretório municipal atrapalha muito. 
Essa briga dói no meu coração.

Estado - Como pretende resolver essa disputa?
Essa será minha prioridade. O Zuzinha (vereador Mario Covas Neto) é o presidente do diretório, mas o problema é a executiva. Ele mandou uma chapa e outro grupo mandou outra. Vou nomear um relator e um assessor jurídico para ver o caso. Vamos antes de mais nada ver a legalidade. 

Estado - Esse racha não pode contaminar a escolha interna do candidato tucano na capital em 2016?
Já está prejudicando. Essa briga pode abrir espaço para novos nomes. É capaz de chegar alguém de fora...

Estado - Quem?
Acho que chegou a vez de termos um nome novo. As opções são muitas. Além do Andrea e do José Aníbal, tem o Fernando Capez (presidente da Assembleia), que é uma liderança nova, o Floriano (Pesaro, secretário de Desenvolvimento Social). Se tiver mais de um nome vamos exigir prévias 

Estado - O vereador Andrea Matarazzo precipitou-se ao apresentar seu nome com tanta antecedência?
Não vou entrar nesse mérito, mas o X da questão dessa briga interna foi a candidatura a prefeito. Sempre fui muito amigo do Zuzinha, José Aníbal e do Andrea, mas essa briga precisa parar. O diretório não pode ficar parado. Não jogarei nada para debaixo do tapete. 

Estado - Acha viável o PSDB fazer uma aliança com a Marta no primeiro ou segundo turno na capital?
Como dizia Tancredo Neves: não podemos ser nem muito amigos, nem muito inimigos. Não devemos cultuar inimizades. Mas está muito claro que o PSDB terá candidato no primeiro turno na capital e também para governador em 2018. Não existe chance de apoiarmos alguém de outro de partido no primeiro turno nos dois casos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário