Em Nova York, Alckmin apresenta potencialidades de investimento do Estado de São Paulo


Governador mostrou a empresários e investidores norte-americanos oportunidades de negócios em Parceria Público-Privada


O governador Geraldo Alckmin se reuniu nesta quarta-feira, 13, em Nova York, com empresários e investidores norte-americanos. Durante o encontro, realizado no Harvard Club, Alckmin apresentou possibilidades de investimentos no Estado de São Paulo, sobretudo na modalidade de PPP (Parceria Público-Privada).

“Nós vamos atravessar o atual momento do Brasil com investimento, desenvolvimento e produtividade. O Estado de São Paulo tem muita oportunidade de PPPs nas áreas de infraestrutura, saneamento, habitação, tecnologia e saúde. São oportunidades importantes do ponto de vista econômico, porque geram emprego e renda”, ressaltou Alckmin ao lembrar que São Paulo é um grande centro consumidor.

A apresentação mostrou a evolução do PIB do Estado desde 2002: segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e a Fundação Seade, naquele ano, São Paulo registrava um PIB de US$ 179,1 bilhões, enquanto em 2014 o valor saltou para US$ 534 bilhões. Alckmin informou que o superávit paulista em 2014 foi de R$ 4,589 bilhões, enquanto vários Estados brasileiros registram déficit nas contas públicas.

As três principais agências de risco de crédito – Fitch, Moody’s e Standard & Poor’s – avaliam o Estado com “grau de investimento”, devido ao sólido histórico de desempenho financeiro equilibrado, sustentado por políticas fiscais austeras. As avaliações indicam que o Estado tem bom controle e gerenciamento de suas dívidas e um nível de investimento crescente, crucial para o seu desenvolvimento econômico futuro. De 2003 a 2014, aumentou de R$ 4,4 bilhões para R$ 23,5 bilhões o investimento total do setor público.

Alckmin também apresentou o total já investido desde o início do Programa de Concessões, que inclui R$ 71,3 bilhões em concessões rodoviárias, R$ 7,3 bilhões em distribuição de gás e R$ 14,9 bilhões referente ao Programa Estadual de PPPs.

Essas parcerias entre os setores público e privado incluem várias obras, como a Linha 4-Amarela do Metrô, a primeira linha de metrô do Brasil a ser operada por meio de PPP: a construção é de responsabilidade do Estado, já a operação e manutenção são da Concessionária ViaQuatro por 30 anos. As linhas 6-Laranja e 18-Bronze do Metrô também são PPPs, assim como o Sistema São Lourenço, que vai disponibilizar mais 6,4 m³/s de água para atender a Região Metropolitana de São Paulo em 2017.

Já para diminuir o déficit habitacional da cidade de São Paulo, o Estado, em parceria com o setor privado, vai construir 3.683 moradias, sendo 2.260 de interesse social e 1.423 de mercado social.

A saúde também é beneficiada com as PPPs. Serão três hospitais: um em São Paulo, outro em Sorocaba e o último em São José dos Campos. Outra possibilidade de investimento é o Trem Intercidades, concessão patrocinada para implantação, operação e manutenção de uma rede integrada de cerca de 431 quilômetros de linhas de trem interligando as principais regiões metropolitanas do Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário