Governador Geraldo Alckmin dá início às escavações da Linha 6-Laranja do Metrô


Obra será totalmente subterrânea e deverá transportar 633 mil pessoas por dia; ponto de partida da escavação é a Avenida Otaviano Alves de Lima, na Freguesia do Ó

A2 Fotografia / Edson Lopes Jr


As obras de escavação do VSE Tietê (poço de ventilação) da Linha 6-Laranja do Metrô, que ligará a região noroeste da cidade ao centro (Brasilândia - São Joaquim), teve início nesta segunda-feira, 13, com a presença do governador Geraldo Ackmin. A nova linha será totalmente subterrânea e deverá transportar 633 mil pessoas por dia. Além disso, o percurso que hoje é feito em até 1 hora e meia passará a ser feito em 23 minutos.

"É a primeira PPP (Parceria Público-Privada) do país completa. O setor privado constrói a obra, compra os trens, faz a parte de energia, de motorização e opera por 19 anos a Linha 6. Vai integrar na Água Branca com a Linha 7 que vai para Jundiaí e a Linha 8 que vai para Osasco. Em Higienópolis com a Linha Amarela e integra com a São Joaquim e duas linhas de trem da CPTM", disse o governador.

Quando entrar em operação, a Linha 6-Laranja oferecerá quatro pontos de conexão com a rede metroferroviária: Linha 7-Rubi (Água Branca), Linha 8-Diamante (Água Branca), Linha 4–Amarela (Higienópolis/Mackenzie) e Linha 1-Azul (São Joaquim). Serão 32 frentes de trabalho, divididas em 15 estações, 17 postos de ventilação e um pátio de trens. As obras devem gerar cerca de nove mil novos postos de trabalho diretos e indiretos. 

As futuras estações da Linha 6-Laranja serão: Brasilândia, Vila Cardoso, Itaberaba, João Paulo I, Freguesia do Ó, Santa Marina, Água Branca, Sesc Pompeia, Perdizes, PUC-Cardoso de Almeida, Angélica/Pacaembu, Higienópolis/Mackenzie, 14 Bis, Bela Vista e São Joaquim.

O ponto de partida da escavação é a Avenida Otaviano Alves de Lima, na Freguesia do Ó, na zona norte da capital. Um projeto de alta complexidade, pois utiliza o que há de mais moderno em mobilidade, tanto do ponto de vista de construção quanto de gestão e operação. São 15,3 quilômetros subterrâneos em uma área bastante populosa. "Serão utilizados dois tatuzões, um para a Brasilândia e outro para a São Joaquim", explicou Alckmin.

A empresa responsável pela construção, operação e manutenção da Linha 6-Laranja do Metrô é a concessionária Move São Paulo. O valor do contrato é de R$ 9,6 bilhões. "A linha tem que estar operando até 2020", finalizou o governador. 

Do Portal do Governo do Estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário