Em missa, Alckmin diz que momento é difícil e que filho era 'iluminado'


Geraldo Alckmin - Folha.com

Ernesto Rodrigues/Folhapress

Com semblante sério e tom de voz baixo, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), falou pela primeira vez nesta quarta-feira (8) sobre a morte de seu filho Thomaz Alckmin, vítima na quinta-feira (2) passada de um acidente de helicóptero.

O tucano ressaltou que o caçula era" iluminado" e "batalhador", avaliou o momento como "difícil" para a família e agradeceu o apoio.

"Uma palavra de agradecimento pelo apoio que conforta o coração de toda nossa família em momento tão difícil. Ele era uma pessoa iluminada, filho carinhoso, pai amoroso, jovem batalhador, amigo fiel", afirmou.

O governador falou sobre o filho após a missa de sétimo dia de sua morte, realizada na Paróquia Nossa Senhora do Brasil, na capital paulista.

A cerimônia foi realizada pelo bispo da Diocese de Santo Amaro, Dom Fernando Figueiredo, e reuniu cerca de 800 pessoas, segundo informação do governo paulista.

Ao entrar na igreja, Alckmin ajoelhou-se e, de olhos fechados, rezou. No mesmo banco, a primeira-dama, Maria Lúcia Alckmin, visivelmente comovida, acompanhou-o no momento de oração.

De vestido preto e colar de pérolas, ela se emocionou mais de uma vez durante a missa, sobretudo quando o bispo mencionava o filho.

A lembrança do caçula também quebrou o semblante sério do governador, que chegou a esboçar um sorriso. Sentado ao lado da viúva, Thais Fantato, Alckmin apertou as mãos da nora e as beijou.

Ele também segurou as mãos dela quando Geraldo Neto, irmão mais velho de Thomaz Alckmin, foi convidado a recitar trecho da Bíblia. "A vida dos justos está nas mãos de Deus e nenhum tormento os atingirá", leu.

No final da missa, o governador e a primeira-dama cumprimentaram uma fila de autoridades e amigos, que se estendeu ao exterior da igreja.

A cerimônia foi acompanhada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, pelos senadores José Serra e Aloysio Nunes Ferreira, entre outros.

Thomaz Alckmin morreu na queda de um helicóptero em Carapicuíba (Grande São Paulo) no último dia 2. Além do filho do governador, outras quatro pessoas perderam a vida na tragédia.

Mais cedo, a primeira-dama de São Paulo, Lu Alckmin, citou Santo Agostinho em texto em homenagem ao filho morto publicado em seu Facebook.

Nenhum comentário:

Postar um comentário