Cunhada de João Vaccari Neto se entrega à Polícia Federal


ESTELITA HASS CARAZZAI - FOLHA.COM

Junior Pinheiro/Folhapress 
Marice Corrêa de Lima, cunhada do ex-tesoureiro do PT, chega à sede da Polícia Federal em Curitiba


Investigada na Operação Lava Jato, Marice Corrêa de Lima, cunhada do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, se entregou na tarde desta sexta (17) à Polícia Federal, em Curitiba.

Marice chegou em um táxi, acompanhada de um advogado, por volta das 14h. Ela permaneceu em silêncio e não respondeu às perguntas da imprensa.

A cunhada do ex-tesoureiro é suspeita de ser uma emissária de Vaccari e de ter participação nos desvios da Petrobras. A movimentação financeira dela foi considerada incompatível com sua renda, de acordo com o Ministério Público Federal. Para o órgão, Marice pode ser uma operadora do esquema.

O advogado Claudio Pimentel, que defende a investigada, nega as acusações. "Operadora de quê? Ela nem tem dinheiro para isso", afirmou ele à Folha. "Os valores [de seu patrimônio] não são significativos, não existe isso."

A prisão temporária de Marice, válida por cinco dias, foi decretada na quarta (15) para evitar que ela destrua ou falsifique provas. No mesmo dia, o ex-tesoureiro foi preso. Marice era considerada foragida.

Segundo sua defesa, ela estava em viagem ao Panamá havia dez dias, participando de um congresso, e, assim que soube do pedido de prisão, "pegou o primeiro avião para o Brasil".

"Não tenho a menor ideia [de qual congresso Marice participou]. Eu me preocupei mais em saber do que ela está sendo acusada", declarou Pimentel.

O advogado afirma que toda a movimentação financeira e patrimonial de Marice foi declarada no Imposto de Renda e será justificada à Polícia Federal. "Todos os seus bens tiveram origem lícita", disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário