Artistas aderem a movimento anti-Dilma


ESTADÃO CONTEÚDO

O secetrário estadual de Desenvolvimento Social Floriano Pesaro e Ronaldo Nazário, em 2014 

O movimento Vem Pra Rua divulgou ontem, em sua página oficial no Facebook, vídeos de artistas defendendo os protestos marcados para amanhã pelo País e convocando as pessoas a participar dele. A maioria usou a palavra "basta" para resumir o mote das manifestações contra o governo da presidente Dilma Rousseff, que têm o movimento Vem Pra Rua como um de seus organizadores.

Com mais de 80 mil visualizações e mais de 6 mil curtidas na página do Facebook, a atriz Christine Fernandes diz em seu vídeo que não tem um partido político que a represente, mas que não aguenta mais a situação atual. "Eu não tenho partido político que me represente, mas sou cidadã brasileira e pago altos impostos e não aguento mais essa corrupção", afirmou a atriz, na gravação de 13 segundos.

Caminhando enquanto fazia a filmagem, o humorista Marco Luque, um dos apresentadores do programa CQC, da TV Bandeirantes, usa o mote "basta" logo no início do vídeo e diz que não quer mais pagar tanto por educação e saúde que "a gente não tem". Além disso, Luque afirma que há muito imposto desnecessário no País e que, com esse dinheiro, o Brasil já poderia ser de "primeiro mundo". "Eu não quero mudar desse país, eu quero que o país mude. Vem pra rua", finalizou.

Outro artista que preferiu fazer o vídeo enquanto se movimentava, o ator Malvino Salvador também usou o mote da campanha de convocação. "Basta de mentiras, basta de corrupção, basta de manipulação, basta de conformismo", afirmou o ator, que nas eleições de 2014 publicou um vídeo na internet em que revelava seu voto no então candidato do PSDB, senador Aécio Neves (MG).

Em seu vídeo, o ator Marcelo Serrado pondera que nem todos os políticos são corruptos, mas diz que há algo errado com a política brasileira e que todas as classes, não só os ricos, estão insatisfeitas. Ele destaca a alta do dólar e dos impostos e o escândalo da Petrobrás. Os atores Caio Castro, Kadu Moliterno, Márcio Garcia e Alessandra Maestrini também gravaram mensagens.

Na página do Facebook em que o Vem Pra Rua faz a convocação para as manifestações de domingo, o movimento se diz apartidário e considera que o processo de impeachment da presidente requer fundamentos jurídicos que no momento seriam insuficientes, segundo a avaliação juristas que acompanham o grupo.


Políticos

Além da movimentação dos artistas, políticos ligados ao governo e à oposição também divulgaram vídeos sobre os protestos. Presidente nacional do PSDB, o senador Aécio Neves (MG) publicou ontem nas redes sociais um vídeo chamando as pessoas a ir para as ruas no domingo para defender "a democracia e o Brasil". "O próximo domingo será lembrado como o dia da democracia, o dia em que os brasileiros acordaram e foram às ruas para dizer chega de tanta corrupção, incompetência e mentira", afirmou o tucano.

Apesar de convocar as pessoas a protestar, Aécio disse que não deve participar do movimento. Segundo o senador, ele teria medo de receber críticas por incentivar uma espécie de "3.º turno" da eleição.

Na quinta-feira, às vésperas das manifestações de ontem, com bandeira favorável a Dilma, e de domingo, o presidente do PT, Rui Falcão, também divulgou vídeo para conclamar a militância, apoiadores e simpatizantes a ir às ruas defender o partido, o governo e a reforma política. Falcão orienta aqueles que sairão às ruas a não aceitarem "provocações de extremistas", mas "tampouco a não abaixarem a cabeça". "Estamos mudando o Brasil e isso nunca foi fácil", disse Falcão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário