Alckmin vai criar o "via rápida para o emprego"


O candidato do PSDB ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse que apesar da significativa vantagem sobre seus adversários apontada pela pesquisa Datafolha, divulgada hoje, não cogita a possibilidade de vencer ainda no primeiro turno. "Essa coisa de primeiro turno não existe e a eleição é em dois turnos", afirmou. "Recebo com alegria e humildade (o resultado). Mas não tem eleição ganha, o que vale é o dia 3 de outubro. Vamos continuar trabalhando de mangas arregaçadas", afirmou ele em São José dos Campos, a 120 quilômetros da capital paulista.

O candidato tucano aparece com 49% das intenções de voto, enquanto o petista Aloizio Mercadante ocupa o segundo lugar com 16%. A sondagem mostra que Alckmin venceria as eleições no primeiro turno, pois todos os seus adversários somam juntos 33% das intenções de voto. Acompanhado do deputado Aloísio Nunes Ferreira (PSDB-SP) e do ex-governador Orestes Quércia (PMDB), ambos candidatos ao Senado, Alckmin percorreu o calçadão no centro do município. Ao seu lado também estava a ex-primeira dama Maria Lúcia Alckmin.

O tucano disse que pretende construir, se eleito, um hospital regional do Estado em São José dos Campos. "As grandes cidades do interior de São Paulo tem seu hospital estadual e São José, sendo a capital da alta tecnologia, pode ter um hospital geral, mas também ter pesquisa, inovação, dando mais um salto na questão da ciência", destacou.

Emprego e Copa

Além disso, prometeu criar o que chamou de "via rápida para o emprego", com a criação de cursos profissionalizantes mais acelerado e afirmou que o setor de habitação terá mais recursos com a criação do "BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) da Habitação". Alckmin também participou do lançamento da candidatura à reeleição à Câmara Federal do ex-prefeito da cidade Emanuel Fernandes (PSDB).

Sobre o impasse criado pela FIFA em relação à Copa do Mundo em São Paulo, Alckmin se posicionou contra o emprego de dinheiro público para a obras de uma arena. "Eu sou contra usar dinheiro público para construir estádio. Isso deve ser feito pela iniciativa privada. O governo tem que se preocupar com o transporte, com a segurança, com a infraestrutura." 

Fonte: JOÃO CARLOS DE FARIA - Agência Estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário